Psicóloga explica os benefícios que cultivar plantas trazem para a saúde mental
Vida e Saúde

Psicóloga explica os benefícios que cultivar plantas trazem para a saúde mental

Entenda como aproveitar as vantagens da Hortoterapia em casa e fugir dos efeitos negativos provocados pelo isolamento

Escrever um livro, ter um filho e plantar uma árvore estão entre as coisas que a maioria das pessoas tem como objetivo em suas vidas. Então, por que não começar plantando uma árvore? Seja simplesmente pela beleza, que enche os olhos ao ver um belo jardim, pelo uso medicinal ou até mesmo pelas receitas que você prepara em sua cozinha, plantar faz bem – independentemente do motivo. É o que confirma o estudo conduzido pela Universidade de Uberlândia (MG), no qual se avaliou melhorias significativas em pessoas com algum tipo de sofrimento mental ao colocá-las para cultivar plantas. A prática já tem até nome: Hortoterapia.

Atualmente, esse tipo de terapia é adotado como coadjuvante em clínicas de reabilitação, unidades de saúde e casa de repouso para idosos. Mas a psicóloga e hipnoterapeuta da Epopéia Desenvolvimento Humano, Sabrina Amaral, conta que implementá-la no cotidiano também pode ser muito benéfico: “Não é preciso muito estudo para nos convencer o quão prazeroso é olhar para um jardim bem cuidado ou estar em contato com a natureza. Então, por que não aproveitar esta prática simples e acessível para ajudar a diminuir estresse e despressurizar os humores nesta quarentena?”, questiona.

Sabrina Amaral acredita que cultivar um jardim pode ser muito benéfico para a saúde mental, principalmente neste momento que estamos vivendo

Esvaziar a mente
Cuidar das plantas pode ser tão terapêutico quanto um momento de meditação mindfulness, explica Sabrina Amaral: “Você está com o seu foco 100% concentrado no manuseio da terra e de seus instrumentos, a atenção é voltada para cuidar daquele ser frágil. Assim, a respiração fica tranquila, os pensamentos se acalmam, a mente se esvazia e você se sente integrado à atividade a que se dedica com tanto zelo. O simples fato de ocupar a mente com as tarefas de jardinagem como plantar, regar e cortar, torna-se uma excelente válvula de escape do isolamento social e uma forma de lazer para o dia a dia”.

Cuidar do corpo
Ainda há outros ganhos. “Mexer com a terra reduz a tensão, diminui a frequência cardíaca e a pressão arterial, além de ajudar na redução de hormônios do estresse, o que traz uma melhora significativa para o sistema imunológico. De quebra, você ainda tem ganhos nas funções cognitivas, na memória visual, no aumento da autoestima e ainda estimula a paciência, promovendo o relaxamento (especialmente se lidar com flores como a lavanda ou a camomila)”, explica a psicóloga.

A prática também favorece o movimento do corpo. A psicóloga vê que, mesmo que não seja um exercício físico tão intenso, cultivar plantas mantém o corpo ativo: “É uma forma de você trabalhar mais com o corpo, de se movimentar, ter gasto calórico, trabalhar a coordenação motora. Com certeza, é muito melhor do que ficar no sofá sem coragem de procurar vídeos fitness no YouTube para se exercitar em casa”.

Como começar
Para quem já está pensando “Aí, mas eu nem sei cuidar de plantas”, Sabrina Amaral separou duas dicas:

Vá com calma: Comece com plantas mais simples e generosas para se cuidar: as suculentas (ou os cactos). Essas espécies demandam poucos cuidados e se proliferam muito facilmente, basta espetar uma das folhas no vasinho e… pronto! Você já tem um novo brotinho para enfeitar sua casa.

Busque informações: Se ainda assim bateu uma insegurança, a tecnologia está aí para nos ajudar. O YouTube está recheado de canais que te ensinam gratuitamente o passo a passo para cuidar dessas belezinhas. Uma sugestão é o canal O Mundo das Suculentas.

Agora é só colocar a mão na massa, ou melhor, na terra, e usufruir dos benefícios das plantinhas.

A psicóloga também é adepta da técnica que, segundo ela, pode trazer uma melhora significativa para o sistema imunológico, entre outros benefícios

Sabrina Amaral
A psicóloga e hipnoterapeuta Sabrina Amaral acredita na transformação do ser humano e, após uma vivência de duas décadas na gestão de processos de RH, fundou a Epopéia Desenvolvimento Humano que se propõe a levar à tona o que o cliente tem de melhor com o intuito de ajudá-lo no processo de se tornar pleno, inteiro e feliz. Site www.epopeia.com.br