Música

Compositor de trilhas nos EUA dá dicas para quem sonha seguir a carreira 

Sending
User Review
0 (0 votes)

Nos estúdios do premiado compositor Hans Zimmer (Bleeding Fingers, braço da Sony Music Publishing LLC, empresa de produção de trilhas sonoras duas vezes ganhadora do Emmy e indicada ao BAFTA) o brasileiro Richard Wang tem se destacado na indústria musical contemporânea, como uma figura proeminente, não apenas por sua habilidade como músico multi-instrumentista e regente, mas também por sua carreira como compositor de trilhas sonoras. Inspirado pelos grandes mestres clássicos, com Bach e Beethoven, Wang compartilha sua jornada musical, as influências que moldaram seu percurso até aqui e dá algumas dicas para quem sonha seguir a carreira.

“Desde o início, os compositores clássicos foram minha fonte primária de inspiração. Bach e Beethoven, em particular, sempre foram como guias para mim, suas obras transcendendo o tempo e tocando a alma de maneiras profundas e duradouras”, descreve.

No entanto, o compositor nutre também uma apreciação crescente por Richard Wagner,  maestro, compositor, diretor de teatro e ensaísta alemão., mas admite que no início o músico não era uma referência.   “No início, Wagner não estava entre minhas influências principais. Além dos grandes mestres da música clássica, não posso deixar de mencionar o  meu amigo Antonio Ibrahine, compositor brasileiro que já havia iniciado essa trajetória um pouco antes de mim, e que me influenciou muito nessa decisão também”, reconhece Richard Wang.

Wang destaca algumas dicas para quem sonha seguir a carreira 

  • Na minha trajetória o estudo de música clássica foi muito importante. Então, eu creio que nada é mais benéfico para qualquer compositor  estudar as técnicas clássicas (Harmonia, contraponto, forma, orquestracao, etc);
  • A influência no piano tem muita importância também. Eu obtive isso tocando bastante em conjuntos, e estudando harmonia e improvisação do jazz;
  • Na produção, eu acho que há duas etapas importantes. Afinar o ouvido para as nuances e técnicas da produção. Em ambos os quesitos, mas principalmente na questão do ouvido, eu acho que a melhor forma de aprender isso é vendo alguém trabalhar na sua frente.
  • Buscar instituições sérias para estudar música, tanto durante a formação musical, quanto na formação superior. Estar inserido no meio, é um ótimo caminho para conseguir que algumas portas sejam abertas.Mas tem que estar muito preparado para quando essas oportunidades surgem.

Carreira internacional

A trajetória de Wang é marcada pelo estudo dedicado da música clássica, essencial para sua expressão artística. Aos cinco anos, começou formação musical com aulas de piano e violino, logo adicionando o violão e a guitarra elétrica ao seu repertório, aos 12 anos. 

Desde então,se aprofundou na música tocando em várias bandas durante a adolescência e se apresentando em locais icônicos, incluindo o lendário Circo Voador no Rio de Janeiro.

Seu talento e dedicação o levaram a dar um passo importante em sua carreira ao se inscrever e ser aceito em uma prestigiada faculdade de música no Rio de Janeiro, a UNIRIO. Lá, estudou violão clássico com o renomado Nicolas de Souza Barros. Durante seu período de um ano e meio na faculdade, Richard não apenas aprimorou suas habilidades, mas também conquistou reconhecimento significativo.

Ganhando o primeiro prêmio em dois concursos de violão clássico, Richard demonstrou sua maestria musical. O primeiro, veio na competição regional do Rio de Janeiro, XIII Seleção de Novos Talentos AV Rio. Pouco depois, ele conquistou outro primeiro lugar na competição nacional Concurso Fred Schneiter, realizada na mesma cidade. O destaque desses prêmios foi sua apresentação no programa de TV nacional “Partituras”, transmitido em 2016 pela TV Brasil, EBC, como resultado de sua vitória no concurso AV Rio.

Além de sua habilidade no violão, Richard expandiu seus horizontes musicais ao colaborar em um projeto com o cineasta Sylvestre Campe. Ele contribuiu com composições para um episódio do documentário “Missão: Antártida”, exibido em um canal brasileiro de transmissão nacional, OFF.

Aos 19 anos, o jovem músico tomou uma decisão ousada: desejava se tornar um compositor. Essa escolha o levou a retornar ao piano como seu instrumento principal e a embarcar em uma jornada pela Europa. Morando em Viena, Áustria, e Munique, Alemanha, ele expandiu ainda mais seus horizontes musicais e colaborou com outro cineasta, Badri Skhirtladze. 

Mas foi na renomada Berklee College of Music que sua jornada passou a ser marcada por uma série de realizações notáveis e encontros com alguns dos maiores nomes da indústria cinematográfica.

Dentre tantos reconhecimentos, o músico recebeu  o Prêmio de Criatividade em Escrita Comercial pelo departamento CWP da Berklee, bem como a Bolsa Berklee Achievement. Sua jornada acadêmica culminou em uma formatura com as mais altas honras (Summa Cum Laude) em 2021.

No ano seguinte, em 2022, Wang foi escolhido, entre poucos, para organizar o concerto de formatura de sua turma, um feito que o destacou ainda mais. Ele não apenas organizou o evento, mas também regeu a peça “Harvey Two Face”, composta por James Newton Howard para o filme “O Cavaleiro das Trevas” (2008). Sua habilidade foi elogiada pelo próprio Howard, que destacou sua “ótima regência”.

Mas foi na Bleeding Fingers que Wang alçou novos vôos em sua carreira. “Eu cheguei na Bleeding Fingers através do chefe do departamento de Screen Scoring (Film Scoring na época) – da Berklee College of Music, o Sean McMahon. Ele me recomendou para trabalhar com a Kara Talve (compositora do Simpsons atualmente), mas por motivos pessoais na época, ela não pode me contratar. Apesar disso ela gostou muito do meu trabalho e alguns meses depois me recomendou ao compositor Anže Rozman (Beckham, Prehistoric Planet, etc.) que foi meu primeiro chefe na BF. Após alguns meses trabalhando para ele, a empresa (BF) gostou do meu trabalho e quis me colocar numa posição de mais destaque, que seria no time do Jacob Shea (Planet Earth II, III), já que essa posição não estava disponível no time do Anže. O Anže próprio defendeu que eu fosse para o time do Jacob como sinal de reconhecimento do meu trabalho”, conta Wang.

À medida que o mundo da música continua a evoluir, Richard Wang segue na vanguarda, liderando o caminho com sua visão única e talento incomparável, moldando seu caminho na indústria, demonstrando talento excepcional, com sua paixão pela música e pelo cinema.

“Para o futuro quero integrar o meu estudo de regência à minha prática de compositor, e expandir os meus trabalhos em ambas as áreas; ou seja, fazer parte de mais produções de relevância tanto como compositor quanto regente, seja na área de música para filme ou na música de concerto,” conclui.

Foto: Richard Wang, compositor, arranjador e regente/Divulgação

Advertisement

Agenda de Eventos Acontece

Taxa de câmbio

Taxas de câmbio USD: seg, 20 maio.

Advertisement

Advertisement

Categorias

plugins premium WordPress

You cannot copy content of this page