Os exercícios melhoram a resistência e força muscular
Esporte Vida e Saúde

Treinamento próprio para gestantes

Sabe-se que durante a gravidez ocorrem grandes alterações hormonais e mudanças no corpo da mulher. Em muitos casos, após a euforia da descoberta da gravidez, começam a surgir alterações de ordem física, como cansaço, aumento do percentual de gordura, dilatação abdominal, inchaço de pés e mãos e aumento das mamas, fazendo com que a mulher muitas vezes tenha uma alteração na autoestima.
Esse é um dos problemas que precisam ser observados na hora de prescrever um programa de treinamento físico para grávidas. Nessa coluna temos a participação da gestante Bruna Ribeiro Silveira, que praticou exercícios durante toda sua gravidez, alternando aulas de spinning com musculação (de 3 a 4 vezes por semana), em período em que pudemos acompanhar sua gravidez e evolução física de maneira ativa e saudável.
Há dois objetivos na execução de um programa de treinamento na gravidez: preparar a gestante para o parto e manter sua saúde por meio da forma física. Na hora de realizar a prescrição do treinamento, devemos levar em consideração os seguintes fatores: intensidade do exercício, duração da seção de treinamento, frequência semanal, tipos de exercícios que serão executados, individualidade biológica da gestante e um cuidado especial nos três primeiros meses de gestação, considerado o período mais crítico.
Nessa fase, a opção por atividades de baixa intensidade é mais apropriada (boas opções são hidroginástica ou caminhadas leves).

Orientações a prescrição do treinamento físico para gestantes:
• Prescrever exercícios leves e de forma regular, numa frequência de três e cinco vezes por semana, de acordo com o histórico de atividades físicas da praticante
• Evitar todo e qualquer tipo de impacto nas articulações
• Controlar constantemente a frequência cardíaca, mantendo-a entre 50% a 70% da máxima, para segurança da gestante e do bebê
• Mulheres sedentárias deverão iniciar um programa com menor intensidade do que mulheres acostumadas a realizar exercícios físicos
• Abolir todo e qualquer tipo de exercício que provoque apneia (suspensão da respiração)
• Antes de iniciar um programa de atividade física, consultar o obstetra para que o mesmo informe particularidades sobre a gestação e exercícios contraindicados para o caso específico da gestante
• Mulheres com gravidez de risco não devem praticar exercícios
• Exercícios físicos mais recomendados são atividades aquáticas (hidroginástica), alongamentos, reforço muscular geral e exercícios aeróbios de baixa intensidade e sem impacto (pedalar na bicicleta horizontal, andar na esteira ou em superfícies macias) e musculação (com a orientação de um profissional capacitado)

Benefícios de um treinamento adequado são:
• Menor ganho de peso corporal e tecido adiposo
• Menor risco de parto prematuro
• Melhora na capacidade física geral e capacidade física para o parto
• Diminuição considerável do risco de diabetes
• Recuperação mais rápida pós-parto
• Melhora na resistência e força muscular
• Melhora na capacidade cardiorrespiratória
• Diminuição de ansiedade e estresse
• Diminuição do risco de depressão pré e pós-parto

*Por Everton Bittar  – Foto: Arquivo pessoal

A gestante Bruna Ribeiro Silveira praticou exercícios durante toda a gravidez

You cannot copy content of this page
X