Economia

O mercado de pagamentos online da nova década

Os primeiros dias do comércio eletrônico e dos pagamentos estavam repletos de desafios. A conectividade era limitada, os pagamentos nem sempre funcionavam, a logística demorava muito e a fraude era difícil de detectar e impedir. Os consumidores não tinham certeza de que as pessoas do outro lado do computador realmente entregariam os produtos e serviços oferecidos. Foi uma época de muitas dúvidas sobre se o comércio online era competente ou honesto – em outras palavras, se era confiável.

Nas últimas duas décadas, com a rápida adoção de smartphones e a digitalização global, superamos, em grande parte, as barreiras dos primeiros dias do comércio eletrônico. As tecnologias digitais passaram a rivalizar com a indústria, criaram economias inteiramente novas e transformaram a maneira como trabalhamos, vivemos e consumimos.

Olhando para o futuro, à medida que o comércio e os pagamentos evoluem, dispositivos móveis, big data, inteligência artificial e outros avanços estão mudando todas as faces de nossas vidas. O que imagino que acontecerá nos próximos 10 anos? Difícil dizer, pois o mundo evolui de forma exponencial. Mas tenho algumas sugestões que gostaria de dividir com vocês.

O comércio vai se tornar contextual, e os pagamentos se tornarão cada vez mais invisíveis.

Já vimos uma grande mudança em como e onde o comércio é realizado: antes de 1999, você ia à loja; agora, a loja vai até você. Os anos seguintes viram o aumento acentuado do comércio online e móvel e a criação de novas modalidades, como entretenimento e serviços de assinatura direta ao consumidor. O setor de pagamentos inovou paralelamente a essas mudanças, para permitir que os usuários pagassem por bens e serviços de forma cada vez mais orgânica.

Na próxima fase do comércio, a contínua capacitação de dispositivos embaçará a linha entre consumo, experiências da vida cotidiana e o pagamento por essas experiências. Os comerciantes implementarão tecnologias de pagamento que tornarão o comércio o mais transparente possível. Quer um exemplo? Pense na última vez em que você usou um app de mobilidade. Você pagou quando pediu o carro, quando chegou em casa com segurança ou em algum lugar ao longo do caminho? Pois eu também não me lembro…

A digitalização da moeda ajudará a pavimentar o caminho para a inclusão financeira.

Com qualquer grande transformação na indústria do comércio, antes que ela se torne realidade, deve primeiro ser adotada por todo o ecossistema: consumidores, reguladores, parceiros e comerciantes. Isso vale para criptomoedas, moedas virtuais e novas aplicações do blockchain. Todos têm um potencial único e diferente nos setores de comércio e pagamentos.

A digitalização da moeda é apenas uma questão de “se”, não de “quando”. Nesta nova década, a moeda se tornará mais digitalizada e provavelmente experimentará maior apoio de fintechs, governos e reguladores. Porém, o mais importante é que, para que as moedas digitais sejam adotadas pelos consumidores, estes devem sentir que elas são um método seguro e conveniente de se envolver no ecossistema financeiro. Caso contrário, a moeda digital não se tornará tão grande nos próximos anos.

*Por Carlos Nomura, Head de Pagamentos do PayPal Latam

You cannot copy content of this page