Imigração

Imigração Legal ainda é o melhor caminho 

Contabilidade
Sending
User Review
0 (0 votes)

Recente deportação de uma legião de brasileiros dos EUA  demonstre que o caminho “mais fácil” pode, na verdade, ser uma armadilha.

A política de deportação dos EUA começou a ser intensificada em 2019 pelo então presidente Donald Trump, que endureceu a legislação contra imigrantes ilegais. No ano passado, primeiro ano de mandato do democrata Joe Biden na presidência do país, também foram registrados voos com deportados que chegaram ao Brasil.

Os motivos para a deportação são os mais variados e demonstram que o caminho “mais fácil” pode, na verdade, se tornar uma verdadeira armadilha e imigrar pelos meios legais ainda é a melhor alternativa, segundo a advogada Kris Lee, sócia da LeeToledo PLLC, escritório de advocacia internacional com unidades no Brasil e nos Estados Unidos.

Kris relata alguns casos recentes envolvendo brasileiros que podem levar à deportação dos Estados Unidos, como o da brasileira Jessiane Gonçalves, de 24 anos, que várias vezes tentou atravessar a fronteira do México com a ajuda de coiotes, mas que foi deportada em todas as tentativas. Em dezembro de 2021, a imigrante foi sequestrada, amordaçada, amarrada e posteriormente violentada pelos próprios coiotes. Ela foi encontrada por um fazendeiro da região, que a levou para um hospital em Ciudad Juarez.

Outra situação que pode levar à deportação é a fraude nupcial. Kris afirma que pessoas confundem bastante o fato de se casar com um cidadão americano e ter um benefício imigratório. “São duas coisas totalmente distintas. Embora um casal possa se unir legalmente nos Estados Unidos, não quer dizer que o estrangeiro vai ter um processo imigratório válido”, adverte.

A advogada ressalta que casamento civil é um ato que é igual na maioria dos países ocidentais. “Ninguém conhece uma pessoa pelo Facebook e se apaixona por ela sem vê-la pessoalmente, com todo respeito e algumas pessoas que têm problemas afetivos. É preciso observar que o pretendente está em outro continente, e que o agende consular ou de imigração não vai tolerar um desejo de imigrar com base em sentimentos subjetivos”, avisa.

Também pode resultar em deportação, o cidadão estrangeiro que entra nos Estados Unidos com visto de turista ou de estudante e ultrapassa o tempo limite desses vistos. Segundo Kris, a quantidade de brasileiros que opta em permanecer nos EUA de maneira ilegal vem crescente substancialmente. “Em 2019 mais de 2,3 milhões de brasileiros entraram nos Estados Unidos usando um visto estudantil ou de turismo. Entre essas pessoas, 41 mil ultrapassaram o tempo permitido no país e se mantiveram lá de forma ilegal. Em 2020 a pandemia fez com que o número de viajantes fosse menor, com 1,9 milhão de brasileiros entrando em território americano, mas a quantidade de pessoa que ficaram no país de maneira ilegal foi ainda maior que no ano anterior, ultrapassando 46 mil imigrantes ilegais” revela.

Caminho ilegal pode sair até mais caro 

Kris lee informa que, na maioria das vezes em que brasileiros recorrem a serviços ilegais que levam aos coiotes que fazem a travessia da fronteira do México com os Estados Unidos, o valor cobrado pelas quadrilhas é muito superior ao de recorrer a um advogado especializado em imigração. No caso da brasileira jessiane, além de todas as despesas para a viagem ao México, os criminosos ainda pediram mais dinheiro à família para liberar a jovem.

Para evitar dores de cabeça, a advogada recomenda a leitura minuciosa da seção 212 da INA (Lei de imigração e Nacionalidade dos Estados Unidos), pois ela falta claramente sobre as pessoas que são inadmissíveis dentro dos Estados Unidos.

Ela também indica preencher o formulário com todas as informações que o interessado julgue serem importantes, inclusive aquelas que acredita não serem relevantes e não terceirizar esse preenchimento, pois há questões que podem ter duplo sentido com a intenção de forçar o proponente a responder algo diferente.

Finalmente, Kris recomenda às pessoas fazerem esse processo por meio do consulado e com auxílio de um advogado especialista, pois ele faz um checklist e se atenta a cada detalhe, realizando um atendimento personalizado de acordo com cada cliente.

Sobre Kris Lee

Sócia-gerente e advogada americana da LeeToledo PLLC licenciada nos Estados Unidos, no Distrito de Columbia e no Estado de New York. Com mais de 30 anos de prática do direito, Kris se especializou em aconselhar e representar peticionários perante o USCIS e tratar de questões jurídicas de clientes perante outras agências governamentais ou tribunais federais.

Advertisement

Agenda de Eventos Acontece

Taxa de câmbio

Taxas de câmbio USD: dom, 14 abr.

Advertisement

Advertisement

Categorias

plugins premium WordPress

You cannot copy content of this page