Alimente-se e termine de comer com a sensação de que ainda caberia um pouco mais de alimento no estômago
Vida e Saúde

Cinco dicas para evitar o efeito platô

Por Giovanna Guido

Após meses em um programa para emagrecimento e/ou evolução física, é normal perceber que a velocidade dos resultados fica menor, até estagnar de vez… É o chamado efeito platô: o emagrecimento estava a todo o vapor e após um período, mesmo com dedicação, esforço, dieta restrita e treinamento intenso, o ponteiro da balança insiste em não descer mais, assim como o percentual de gordura (que quase não se altera). O efeito platô é uma grande armadilha, pois quando ele chega grande parte das pessoas se desanima e abandona o projeto emagrecimento. Mas antes de desistir, comece a pensar: se muitas pessoas por aí conseguiram, deve haver algum segredo, alguma estratégia, certo? O ideal é sempre ter um acompanhamento profissional, afinal, uma avaliação criteriosa e orientações são fundamentais. Então, antes de desistir, confira dicas de como se livrar do efeito de estagnação e voltar a queimar gordura. Nesta primeira edição do ano, conheça as cinco primeiras.

1 – Mudança de estímulo periodicamente: esse é o primeiro passo para se livrar do platô! Sempre fazer alterações em sua dieta, suplementação e treinos. O corpo se acostuma fácil e para de responder a qualquer tipo de estímulo de forma rápida. Então, tenha a certeza de que você está fazendo mudanças a cada dois meses pelo menos.

2 – Dieta regrada: nutrição é a parte mais importante na conquista de um baixo percentual de gordura e melhoras no físico, não tem como escapar. O ideal é que o nível calórico de sua dieta seja ajustado (para mais ou menos – isso depende do quanto você tem comido habitualmente), os carboidratos simples sejam excluídos, gorduras ruins (saturadas e trans) sejam eliminadas, o adeus aos fast-foods seja dado, assim como para os refrigerantes, álcool, doces, massas e pães gordurosos. Açúcar, sódio e sal também devem ser vistos como inimigos. Essa é a parte mais difícil de todas. Manter uma dieta restrita quando todos ao seu redor se alimentam com guloseimas… Porém, não tem milagre! Se você quer, tem que fazer por merecer. Um ponto importante: dieta de segunda a segunda, pelo menos nessa fase em que você deseja se livrar do platô – nada de refeição ou dia do lixo, até voltar a ter resultados.

3 – Hidratação: baixa ingestão de água é uma das causas da estagnação do metabolismo. Aumente a quantidade de líquidos ao longo do dia e observe seu metabolismo ser “reativado”. A ingestão de água por dia deve ser maior que 2 litros para mulheres e 3 litros para homens.

4 – Quantidade de comida: sempre se alimente e termine de comer com a sensação de que ainda caberia um pouco mais de alimento no estômago. Esse segredo vale ouro: nunca distenda as paredes do estômago! Quando você come e se sente estufado, você dilata seu estômago e ele pedirá cada vez mais comida posteriormente. Ao comer menos, você irá reduzi-lo e comer só o necessário a cada 2-3 horas. Se você sabe que sentirá muita fome ao fazer isso, planeje sua dieta para cada 2 horas. Comer pouquinho a cada 2-3 horas é o ideal. Daí, após 30-40 minutos da refeição você inicia com a ingestão de água, até o próximo horário de se alimentar – essa é uma estratégia excelente para redução de gordura corporal e principalmente abdominal e continua valendo para alimentos saudáveis e saladas – nunca se sinta estufado, mesmo comendo só legumes e verduras por exemplo.

5 – Inicie e/ou intensifique o treino de musculação:músculos mais desenvolvidos são as maiores fontes de queima calórica e aceleramento do metabolismo: ao fazer uma dieta para perder gordura, muitas vezes perdemos massa magra, o que torna nosso metabolismo mais lento e daí a queima de gordura passa a ser mais difícil. Então, trate de iniciar um bom treinamento de musculação e/ou intensificar o que você já faz: além de ficar com o corpo mais bonito, tonificado e definido, você irá potencializar a queima de gordura.
Bons treinos!