Quando nos olhamos no espelho, qual imagem aparece?
Vida & Saúde Vida e Saúde

Autoestima e beleza

Contabilidade
Sending
User Review
0 (0 votes)

Por Dra. Ana Gouvea

Quando nos olhamos no espelho, vemos refletida a nossa verdadeira imagem ou a nossa percepção de nós mesmos? Se você não gosta de você mesmo, qual a imagem que está vendo? Se você se acha gorda, qual imagem aparece no espelho?

Situações “imaginárias” que acontecem praticamente todos os dias no meu consultório: uma adolescente entra para a primeira consulta. Ela é bonita, inteligente, apresenta peso normal e é ótima aluna na escola. Como ela se vê? Ela diz que se acha gorda, gostaria de ter a cintura mais fina, o cabelo mais liso, um rosto mais bonito. Outra cliente entra e reclama que se acha muito magra e que as pessoas fazem comentários sobre o peso dela. E ela tem um peso saudável. A outra cliente está com 48 anos e reclama que está gorda. Diz que já fez várias lipos, está em dieta, quer fazer uma operação plástica na pálpebra e no nariz…

O que faz as pessoas, principalmente as mulheres, se sentirem tão imperfeitas? Definitivamente, existe a pressão da sociedade. A busca pelo padrão estético ideal, que na realidade nada mais é do que uma imposição social. Há 30 anos as mulheres tinham que fazer cirurgia plástica para diminuir os seios. Agora têm que fazer para aumentar o seio… Já reparou nas mulheres dos quadros renascentistas? Elas seriam obesas na sociedade atual.

Mas não é só a pressão social que contribui para essa ideia de imperfeição que a maioria das mulheres apresenta. Outros fatores também contribuem como família, experiências traumáticas etc. Se os pais de uma adolescente sempre salientarem os seus “defeitos”, essa adolescente pode começar a achar que tem algo de errado com ela e a se achar feia. Se uma adolescente sofreu um estupro vai odiar o seu corpo e pode desenvolver comportamentos pouco saudáveis com o seu corpo, como a bulimia.

Essas percepções de imperfeição fisíca que criamos estão relacionadas a pensamentos negativos sobre nós mesmos. Na psicologia, esses pensamentos são conhecidos como cognições distorcidas. Por exemplo, podemos pensar que “eu não sou boa o suficiente”, “ninguém me ama”, “tem algo de errado comigo” etc. Esses pensamentos geram emoções negativas a nosso respeito como tristeza, raiva e comportamentos negativos como dietas infinitas, cirurgias plásticas sem necessidade, bulimia, anorexia, etc.

Enquanto acreditarmos que existe algo de errado com a gente, o espelho mostrará apenas essas percepções de imperfeição. Então, temos que dar um pouco de realidade a essas percepções. Se o meu peso está no padrão ideal, por que me achar gorda ou magra? Se sou saudável, por que buscar tantos defeitos? Por que não contemplar a ideia de que somos perfeitos do jeito que somos? Podemos até começar um novo desafio… O desafio de nos valorizarmos e de sermos gratos por tudo que temos.

Advertisement

Agenda de Eventos Acontece

Taxa de câmbio

Taxas de câmbio USD: qui, 25 jul.

Advertisement

Advertisement

Categorias

You cannot copy content of this page