Foto: Pexels/Ivan Babydov
Dra. Paula Ferreira Pets

Amor de Pet é para sempre!

Drª. Paula Ferreira. Ferreira Animal Hospital. www.FerreiraAnimalHospital.com miamivets@gmail.com
Sending
User Review
0 (0 votes)

É tão lindo ver o seu jovem cãozinho ou gatinho correndo e saltitando, que é mesmo fácil de amar. De uma maneira geral, pode-se relacionar juventude com saúde e vitalidade. Mas em comparação com a longevidade humana, a vida dos nossos amigos de quatro patas é mesmo muito curta. Isso significa que nós temos a maravilhosa oportunidade de amá-los em todas as fases das suas vidas, desde a estágio “infantil” até a idade geriátrica.

Cães e gatos vivem em media entre 12 e 15 anos, mas dependendo da raça, herança genética e do tipo de cuidados que os donos dão os seus animais, a expectativa de vida pode variar muito.

Mas quando é que se começa a considerar um pet como senior? Isso depende muito de sua saúde e condição individual. De acordo com a sabedoria popular, cada ano de vida do cachorro corresponde a sete anos de vida humana. Isso é uma generalização imprecisa, pois existe muita variação entre as raças caninas, principalmente no que diz respeito ao tamanho do animal. Para cães de raças pequenas e pequenas-médias, talvez a regra dos sete anos possa ser aplicada, porém, em raças médias-grandes, grandes e gigantes, o envelhecimento ocorre muito mais rapidamente. Um cão de porte pequeno é considerado senior a partir dos sete anos de idade. Já os cães de raça grande ou gigante são considerados senior aos 5 anos!

Fisicamente, os primeiros sinais normais da velhice dos cachorrinhos vem em forma de pelos grisalhos no focinho. Gatos também podem apresentar branqueamento dos pelos, mas isso é mais evidente nos cães. Outro sinal muito notado pelos donos é aquela coloração azulada ou leitosa na pupila (aquela parte preta no centro do olho).

À medida que a idade avança, a tendência é que os pets percam uma percentagem de massa muscular e ganhem gordura. A atividade física diária requerida pelos seniors também diminui naturalmente e eles começam a passar mais tempo cochilando durante o dia. É muito importante que a alimentação de um pet senior seja adaptada a sua faixa etária, para evitar problemas como obesidade, aumento de colesterol, diabetes, entre muitos outros.

Foto: Pexels/Anna Shvets

Muitos donos começam a reparar que aquele cão de guarda que, ao menor ruído, dava o alarme, já não escuta muito bem. Alguns podem ficar completamente surdos na velhice.

Algumas dessas mudanças podem ser consideradas normais e, infelizmente, inevitáveis. Mas existem certos sinais que não podem ser ignorados. Lembrem-se que os nossos bichinhos não falam e cabe a nós como guardiões saber definir quando o quadro requer atenção médica. Animais que apresentam dificuldade de se levantar ou locomover, ansiedade, irritação ou agressividade em geral tem algum problema que necessita ser identificado e tratado para garantir uma boa qualidade de vida. Existem vários problemas geriátricos nos pets que causam desconforto e dor, e informar o veterinário das mudanças comportamentais ajudam a identificar doenças e a encontrar o tratamento certo.

Animais que começam a tomar muita água e/ou fazer xixi em excesso estão nos dizendo, no seu jeito bem peculiar, que alguma coisa está errada, isso pode ser um sinal de um problema grave como a diabetes, transtorno dos rins ou da tiroide, infecção urinária ou outros doenças.

Os nossos pets idosos precisam de visitas mais frequentes ao veterinário. Muitas enfermidades geriátricas podem ser identificadas antes dos sintomas iniciais se manifestarem, evitando assim o sofrimento. A prevenção é importante em todas os estágios de vida, mas em se tratando de pets seniors devemos lembrar que o quadro clínico pode mudar em muito pouco tempo.

Existem muitas maneiras de garantir a saúde do seus pets na terceira idade. Mesmo que eles não tenham a mesma disposição dos tempos de outrora, os nossos velhinhos precisam se mexer, para manter o coração e a circulação em bom estado e para fortalecer os músculos. Exercícios regulares, adaptados às suas limitações físicas são muito importantes, assim como uma nutrição apropriada, interações sociais e jogos que estimulam e ajudam a manter a mente ativa. E acima de tudo, muito amor e carinho.

O envelhecimento é um processo natural para todas as espécies – ainda que duro! Assim como nós, cães e gatos passam por mudanças físicas e mentais na terceira idade. E é muito importante lembrar que a velhice não é doença, mas requer mudanças e adaptações para manter o seu amigo feliz e pronto para retribuir o amor incondicional que sempre recebeu da sua família.

Comente

Clique aqui para comentar

Advertisement

Agenda de Eventos Acontece

Taxa de câmbio

Taxas de câmbio USD: qua, 19 jun.

Advertisement

Advertisement

Categorias

You cannot copy content of this page