Vida e Saúde

Saúde ocular na infância: qual a idade ideal para levar os filhos ao oftalmologista?

Sending
User Review
0 (0 votes)

Até os 2 anos de idade é importante que as consultas médicas sejam realizadas a cada 6 meses. Após esse período é indicado que as crianças visitem o oftalmologista anualmente

São Paulo, dezembro de 2022 – O período do final do ano, marcado pela chegada do verão e das férias escolares, costuma causar um aumento da preocupação dos pais com seus filhos pequenos, que tendem a passar mais tempo entretidos com atividades dentro e fora de casa. É nesta época que muitos adultos aproveitam para resolver pendências e realizar os importantes check-ups de saúde nas crianças. O bem-estar visual também entra nessa equação, mas é muitas vezes esquecido pelos pais. 

É importante que o acompanhamento oftalmológico seja realizado desde o nascimento do bebê. “Nas primeiras horas de vida, o recém-nascido deve ser submetido ao Teste do Olhinho, exame que avalia o reflexo da luz no fundo do olho da criança e pode apontar doenças como catarata e câncer. Até os 2 anos de idade é importante que as consultas médicas sejam realizadas a cada 6 meses, já que é nesta fase que os olhos se desenvolvem melhor. Após esse período é indicado que as crianças visitem o oftalmologista anualmente”, afirma Kleyton Barella, médico oftalmologista do Instituto Penido Burnier e especialista em catarata, glaucoma e cirurgia refrativa.

Diferentes estudos apontam que os índices de miopia, por exemplo, que é uma das disfunções visuais mais comuns em todo o mundo e caracteriza-se pela dificuldade na focalização de imagens a longa distância, tem crescido a cada ano, sobretudo entre a população de crianças e jovens, graças ao uso desenfreado de aparelhos eletrônicos. Segundo uma pesquisa publicada em 2021 pela revista científica The Lancet, o contato com as telas durante o período de pandemia fez com que a miopia progredisse cerca de 40% entre os jovens de 5 a 18 anos. 

Outros estudos, como um levantamento recente publicado pelo jornal Ophthalmology, também indicam que crianças míopes possuem maior tendência a doenças como ansiedade e depressão do que aquelas que não possuem problemas de visão. “Mesmo que apresente alguma disfunção visual, é comum que a criança não consiga perceber sozinha a necessidade de visitar um oftalmologista. Por isso, é imprescindível que os pais fiquem atentos a qualquer sintoma de incômodo ocular e a atitudes como aproximar demais os objetos do rosto ou franzir a testa para tentar enxergar algo a média e longa distância”, ressalta Barella.   

Além disso, independentemente da idade, os pais e responsáveis devem ficar sempre atentos ao comportamento e às queixas dos pequenos. “Os sintomas mais comuns de que algo pode estar errado com o sistema ocular dos mais novos são: lacrimejamento em excesso, presença de secreções anormais nos olhos, vermelhidão, coceira, inflamação, dores de cabeça constantes, alta sensibilidade à luz, entre outros”, complementa Kleyton Barella. 

Escolhendo as lentes certas para crianças

Para os casos em que a disfunção visual dos jovens pacientes possa ser solucionada a partir da prescrição de um óculos de grau, é importante escolher lentes que irão proporcionar a correção adequada, a proteção necessária e que sejam resistentes ao dia a dia infantil. “Optar por materiais mais resistentes e leves vão garantir uma vida útil maior aos óculos e proporcionar mais tranquilidade aos pais. Materiais como o policarbonato, por exemplo, são 10 vezes mais resistentes e 30% mais finos e leves que as lentes de acrílico, as mais comuns no mercado.” alerta Makoto Ikegame, cofundador da Lenscope.

Lenscope, healthtech que criou uma jornada 100% digital na aquisição de lentes para óculos em um processo simples, eficiente e funcional, oferece lentes de alta qualidade, que podem ser usadas por pacientes de todas as idades e que atendem a todos os tipos de ametropias (miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia). Além disso, elas têm tratamentos inclusos em todos os casos, como: antirrisco, antirreflexo, proteção UVA e UVB, além de tratamento hidrofóbico e oleofóbico contra sujeira e tratamento contra microfissuras.

Protegendo a visão por meio de óculos com filtros UV

As crianças sem histórico de doenças visuais também não devem ser ignoradas pelos responsáveis, já que fatores externos, como a radiação UV emitida pelo sol, podem causar sérios danos para a saúde dos olhos, como catarata, fotoconjuntivite, fotoqueratite e degeneração macular. “Desta forma, a melhor maneira de proteger a visão dos efeitos nocivos da luz solar é por meio do uso de óculos com filtros UV, que impedem que os raios ultravioleta atinjam os olhos”, complementa Makoto Ikegame.  

Atualmente, é possível encontrar diferentes opções de óculos bloqueadores no varejo óptico. “A saúde ocular não pode ser deixada de lado, sobretudo para as crianças, que por conta da idade e do pouco desenvolvimento do corpo, correm ainda mais riscos de sofrerem danos visuais. Por isso, é importante que o consumidor exija os tratamentos para lentes de marcas confiáveis e de boa procedência”, finaliza Ikegame. 

Sobre a Lenscope

Fundada em 2015, a Lenscope vem revolucionando o mercado óptico brasileiro ao oferecer uma jornada 100% digital na aquisição de lentes para óculos em um processo simples, eficiente e muito funcional. A healthtech, que também é reconhecida por disponibilizar ao mercado brasileiro as lentes mais finas do mundo, utiliza Inteligência Artificial na oferta de produtos de qualidade superior, de forma acessível e cômoda, sem que o consumidor precise sair de casa. 

Advertisement

Agenda de Eventos Acontece

Taxa de câmbio

Taxas de câmbio USD: qua, 28 fev.

Advertisement

Advertisement

Categorias

You cannot copy content of this page