Coronavirus Vida e Saúde

Conheça as reações que as vacinas podem causar

Contabilidade
Sending
User Review
0 (0 votes)

Todas os imunizantes podem gerar efeitos colaterais, mas a maioria é leve e temporário, sendo a dor no local da aplicação e febre baixa as mais comuns

Mais de 153 milhões de brasileiros já foram totalmente imunizados contra a Covid-19, o que corresponde a 71,9% da população. Os dados são do Our Word Data, atualizados na terceira semana de fevereiro de 2022. Um fato comum entre esse contingente de pessoas é que todos estiveram sujeitos a sofrer algum tipo de reação adversa da vacina que protege o organismo dos males do coronavírus.

Mas a verdade é que todos os imunizantes, da BCG à Gripe Quadrivalente, podem gerar efeitos colaterais que vão desde sintomas comuns até muito raros. A informação vale para as doses aplicadas tanto na rede pública de saúde (SUS), quanto na particular. Por outro lado, a boa notícia é que a maior parte das reações é leve e rápida, sendo a dor no local da aplicação e febre baixa as mais comuns.

O que é a vacina e como ela nos protege?

A vacina nada mais é que uma substância biológica aplicada em pessoas e animais, com o objetivo de protegê-los contra diversas doenças. Ela se passa por agentes infecciosos, de forma a estimular a produção das nossas defesas, por meio de anticorpos específicos. Assim, o imunizante ensina o nosso organismo a se defender de forma eficaz. Essa defesa ocorre mesmo se o indivíduo não desenvolver a infecção.

Na prática, as vacinas ativam as defesas naturais do corpo para que aprendam a reconhecer e combater a infecção causada pelo vírus ou bactéria. Então, logo após a aplicação, o corpo começa a produzir anticorpos, que é uma resposta do sistema imunológico bem parecida com o que acontece quando estamos doentes.

A diferença é que os imunizantes têm apenas microrganismos mortos ou atenuados que não causam doenças ou complicações.  Após a aplicação de alguma vacina, é desencadeada uma resposta do sistema imunológico que ocorre em 3 etapas: 

  1. Reconhecimento do vírus ou bactéria causadora da doença; 
  2. O sistema imunológico entra em ação gerando esses anticorpos e a memória imunológica;
  3. Caso a pessoa, no futuro, seja exposta ao microorganismo causador da doença que a vacina protege, os anticorpos produzidos podem destruí-lo de maneira rápida, antes mesmo do indivíduo começar a apresentar os sintomas.  

Quais são as principais reações das vacinas? 

A maioria das reações aos imunizantes é leve e temporária. As mais comuns são dor no local da aplicação ou febre baixa. O fato é que, enquanto algumas pessoas não sentem nada, outras podem apresentar desde sintomas leves até incomuns, como inchaço facial, falta de ar, diarreia e rinite.

E por que isso acontece? Porque as vacinas são feitas a partir de substâncias biológicas, como os vírus e bactérias (mortos ou atenuados), causadores da doença, que atuam no nosso sistema imunológico. 

As células de defesa do nosso corpo, chamadas de linfócitos, reagem a esse “corpo estranho” e produzem anticorpos para combatê-lo. Como há uma “invasão” ao organismo, é normal que ocorra uma reação inflamatória. 

*Com informações da Beep Saúde.

Advertisement

Agenda de Eventos Acontece

Taxa de câmbio

CurrencyRate

Advertisement

Advertisement

You cannot copy content of this page
X
X