Destaques Mikaela Paim

Azeite: o ouro líquido da Cleópatra que pode ser seu aliado da beleza – Mikaela Paim

Sending
User Review
4.5 (2 votes)

* Por Mikaela Paim

Quem aprecia boa gastronomia, certamente gosta de azeites para intensificar o sabor e trazer mais consistência para o paladar. Assim como o vinho, o café e a cerveja, o azeite tem sua origem indeterminada, porém há vestígios milenares da Era Terciária, época remota anterior ao aparecimento do homem.

Na região da Ásia Menor, onde hoje é a Síria e Palestina, foram descobertos indícios de instalações de produção de azeite e fragmentos de vasos datados do começo da Idade do Bronze. Ao longo de toda a história da humanidade o azeite de oliva sempre esteve ligado, não somente à alimentação, como à medicina e à religião.

Era usado como iluminação nas lamparinas, também para aliviar dores e curar feridas em guerras e utilizado em várias crenças religiosas, em rituais, batismos e unções. Na própria Bíblia, o azeite é citado várias vezes no Antigo e Novo Testamento, sendo símbolo da manifestação de Deus por meio do Espírito Santo.

O azeite sempre foi aclamado pelos gregos por seus diversos benefícios e era chamado por eles como ouro líquido. Aprendi muito durante minha passagem pela Toscana, onde colhi e produzi azeite em sua melhor versão.

Produção

Sabia que a azeitona é um fruto? O azeite é o óleo extraído da azeitona, que é o fruto da oliveira. A colheita é feita, na maioria das vezes, manualmente, selecionando as azeitonas maduras. Para manter o máximo frescor e as melhores características do fruto, o ideal é iniciar o processo de produção do óleo em menos de 3h
(como também acontece no mundo do vinho, do café e até do tabaco para charutos).
Na fábrica, se iniciam os processos de lavagem, moagem, prensa fria e centrifugação.

Harmonizações

Muitas pessoas ainda pensam no azeite só para temperar salada e até poucos anos atrás lembravam apenas na Páscoa, para regar o bacalhau. Porém o ouro líquido pode surpreender na gastronomia.

Existem vários tipos de azeitonas, assim como no mundo do vinho existem vários tipos de uva. Cada variedade traz uma complexidade diferente para os pratos, como por exemplo, a Arbequina que traz um leve dulçor e muito herbáceo, além de ser muito leve e equilibrada, ideal para saladas e grelhados.

Já variedades como Koroneiki ficam ainda melhores com carnes e pratos mais elaborados e Arbosana vai muito bem com risotos e massas.

É comum produzirem blends, assim como no vinho. Revelando novos aromas e sabores, erando azeites mais complexos e equilibrados. Além dos pratos principais, existem harmonizações pouco conhecidas que são surpreendentes: como em sobremesas (sorvetes, tortas, chocolates amargos) e até na composição de drinks.

Benefícios do Azeite

Cada vez mais, as pessoas estão atentas aos produtos que auxiliam na saúde.
O azeite de oliva traz diversas contribuições para o corpo, a saúde e até beleza.

– Rico em vitaminas: A, D, K e E que auxiliam na absorção de vitaminas lipossolúveis da dieta e podem ajudar no controle do peso, devido ao seu alto índice de nutrientes.

– Gordura boa: é fonte de gordura mono e poli insaturadas, extremamente valiosas ao bom funcionamento do corpo, que inclusive ajudam a conter o mau colesterol (LDL – Lipoproteína de Baixa Densidade) e ajudam na prevenção da Diabetes Tipo 2. Um estudo publicado na revista científica Diabetes Care, concluiu que a incidência de diabetes foi reduzida em 51% naquelas pessoas que consumiram o azeite em comparação com quem teve uma dieta com baixa ingestão desse tipo de óleo.

– Digestão: ajuda a ter uma sensação de saciedade e ajuda o estômago a digerir os alimentos mais lentamente.

– Efeito analgésico: de acordo com a pesquisa realizada no instituto científico Monell Chemical Senses Center, da Filadélfia, o azeite pode substituir os analgésicos. 50 g de azeite equivale a um décimo de uma dose de analgésico ibubrofeno, tornando esse óleo um anti-inflamatório.

– Fonte de antioxidantes;

– Favorece a saúde cardiovascular: rico em vitamina E, o azeite consegue reduzir a formação de tecidos fibroso, que causa o entupimento dos vasos sanguíneos e artérias. Além disso, já foi comprovado pelos pesquisadores do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica, em Bordeaux, na França, que a também ajuda a prevenir derrames.

– Protege o cérebro: o azeite contém antioxidantes que estão relacionados ao bom funcionamento e preservação do cérebro. Essas substâncias são eficazes na prevenção de danos causados pela oclusão de artérias cerebrais, como AVCs.

– Ossos Saudáveis: ajuda a prevenir a perda de cálcio relacionado com o desenvolvimento da osteoporose durante o envelhecimento. De acordo com estudos realizados na Universidade de Córdoba, na Espanha, o azeite contém uma substância chamada oleuropeína, anti-inflamatório que tem os mesmos efeitos do cálcio no organismo. A presença da vitamina K ajuda a manter os ossos resistentes a fraturas.

– Depressão: pessoas que seguem a Dieta Mediterrânea, que é rica em Azeite de Oliva, possuem menor risco de desenvolverem depressão. As pessoas que consomem mais gorduras mono e poli-insaturadas, como os presentes no azeite, têm risco menor de depressão, de acordo com uma pesquisa publicada no PLoS ONE. Foram avaliados 12 mil voluntários durante seis anos. Os pesquisadores mostraram que quem comeu mais gorduras trans, em vez de uma dieta com uso de azeite, teve risco 48% maior de desenvolver depressão.

Azeite na Beleza

Esse era um dos segredos da Cleópatra, que até hoje é referência de feminilidade e vaidade. Assim como nós, ela mantinha uma rotina diária de beleza se beneficiando de ingredientes naturais, como leite de burra, vinagre de cidra, cera de abelha, óleos essenciais e o azeite – e esse pode ser mais um aliado da beleza.  Ela embalsamava seu corpo e cabelos para mantê-los hidratados. Também há registros de que ela usufruía de uma mistura de azeite e ervas aromáticas como um creme perfumado e passava em lugares estratégicos (como pescoço e colo) para seduzir. Inclusive, esse blend foi inspiração para diversas marcas de cosméticos desenvolverem seus produtos.

Além de natural, o azeite traz diversos benefícios ao corpo. 

– Pele: com propriedades anti-inflamatórias, rico em antioxidantes e vitaminas A e E, é indicado como um hidratante facial para quem tem a pele seca. Uma gotinha e é o suficiente para uma pele sedosa.

– Lábios rachados: algumas gotas podem resolver o problema de forma natural, como se fosse um lip balm.

– Unhas: as vitaminas contidas no azeite ajudam a hidratar e fortalecer as unhas.
– Cabelos: Hidratar os cabelos, principalmente após exposição ao cloro, sol, praia e mar, pode ser uma dica excelente para os dias de verão.

– Corpo: untar o corpo, passar nas regiões ressecadas, baixa hidratação, como estrias, por exemplo. Diversas empresas de estética usam tratamentos a base de azeite.

Como escolher o seu azeite

Prefira sempre o extravirgem que é o mais saudável e tem sabor e aroma naturais, além das diversas propriedades benéficas ao organismo. O ideal é consumir aproximadamente 30 g de azeite por dia, que é o equivalente a 2 colheres de sopa.
É importante determinar a classificação do tipo do azeite:  tipo Extra-Virgem só pode ter no máximo 0,8 de acidez. Escolha embalagens de vidro escuras, pois elas impedem a entrada de luz para evitar a precoce oxidação, não comprometendo as propriedades do alimento.

You cannot copy content of this page
X
X