Crédito: Arch.TDP
Turismo

As pontes do Porto

Sending
User Review
0 (0 votes)

Segunda maior cidade de Portugal, Porto é famosa, principalmente, pelo Rio Douro, rio que nasce na Espanha e percorre quase 900km até sua foz na área portuense. É o terceiro rio mais extenso na Península Ibérica, com navegação turística constante e durante todo o ano. Por isso, não é novidade que, diante de um rio tão importante e majestoso, também se fazem necessárias as pontes!

E são delas que vamos falar nesta matéria de hoje: as pontes do Porto. São seis no total, que destacam-se, cada uma, por características próprias, funções distintas, mas igualmente belas e muito conhecidas por fazerem parte do cenário tão peculiar e famoso da cidade lusitana. Todas são responsáveis por ligar o concelho do Porto ao concelho de Vila Nova de Gaia, ambos pertencentes à grande área distrital do Porto.

A primeira delas e a mais famosa, é a Ponte Luis I. Foi batizada com este nome, pois foi construída como oferenda ao rei e inaugurada em 1886. Totalmente feita em ferro, tem o design semelhante ao da Torre Eiffel, em Paris, pois tem como autor Theóphile Seyring, discípulo de Gustave Eiffel, embora não tenha sido uma parceria efetiva entre os dois arquitetos. É, sem dúvidas, um símbolo da cidade do Porto e foi classificada, em 1982, como Monumento Nacional. Com dois tabuleiros, a parte superior tem passagem para o metrô e pedestres. Também é de onde se tem uma das mais belas visões panorâmicas das curvas do Douro, emolduradas pela arquitetura peculiar da ribeira. Na parte inferior, o movimento de turistas é constante durante todo o ano e não é incomum um “engarrafamento” de pessoas que param em suas passarelas para fazer registros fotográficos de todos os ângulos possíveis e imagináveis.

A Ponte da Arrábida foi a primeira ponte em concreto construída para fazer a ligação entre os dois distritos. Com 493 metros, é uma construção imponente e de design muito moderno considerando-se o seu ano de fundação, em 1963. Projetada por Edgar Cardoso, um famoso engenheiro português, é a ponte mais próxima do Oceano Atlântico e no ano de sua conclusão, foi considerada a ponte com o arcos gêmeos de betão armado mais longa do mundo. Também foi a primeira grande ponte sobre o Douro a ser projetada e construída na totalidade pela engenharia portuguesa.

A Ponte Infante Dom Henrique é a mais recente de todas elas. Inaugurada em 2003, tem o design mais moderno e é uma das pontes de arco com apenas um tabuleiro (superior) mais longas do mundo. Foi construída, principalmente, para desafogar o trânsito de veículos constante no tabuleiro inferior da Ponte Luis I, por isso ambas são bem próximas.

Crédito: Cruzeiros Douro

Embora tenha “perdido” a sua fama de mais bela e famosa para a Ponte Luis I, a Ponte D. Maria Pia também é Monumento Nacional e foi a primeira ligação ferroviária dos dois concelhos, uma conquista de grande importância para a economia da região. Foi, verdadeiramente, projetada por Gustave Eiffel, em um projeto autoral e inédito e construída em menos de dois anos, entre 1876 e 1877.

Uma curiosidade é que, devido à grande fama da Torre Eiffel em Paris, muitos pensam que ela foi a primeira obra do arquiteto, mas a realidade é que o projeto no Porto foi feito antes da obra francesa que o eternizaria na história. Foi utilizada ao longo de 114 anos e desativada em 1991, por já não conseguir responder às exigências que a evolução do transporte ferroviário registou.

Crédito: Cruzeiros Douro

A Ponte São João também foi projetada por Edgar Cardoso e construída para acompanhar o crescimento do tráfego rodoviário e ferroviário no Porto e substituir o uso da Ponte D. Maria Pia, que estava sobrecarregada. Foi batizada com este nome, pois foi inaugurada em 1991, no Dia de São João – que embora não seja o santo padroeiro da cidade, é um santo muito popular a adorado na cidade. Atualmente, o seu tabuleiro superior serve a rede de comboios (trens) em direção ao sul do país. É uma obra marcante da arquitetura do Porto, com três vãos que encontram-se apoiados em dois imponentes pilares, construídos nas duas margens.

Crédito: Cruzeiros Douro

E, por fim, há também a Ponte do Freixo, que faz, principalmente, a ligação das zonas periféricas do Porto. No trajeto dos passeios fluviais de turismo muito comuns pelo Douro, é a última ponte a ser atravessada. Inaugurada em 1995, atualmente é o principal acesso de entrada e saída da cidade, por onde passam cerca de 100 mil carros diariamente.

Porto é o único distrito da Europa com seis pontes e elas, mais que úteis para o tráfego de veículos, comboios e pedestres, são construções que mesclam modernidade e história e, principalmente, somam muito à beleza panorâmica do Rio Douro e da cidade. Valem realmente a fama que lhes foi atribuída. Valem a visita a uma das cidades mais charmosas do norte português.

Crédito: Cruzeiros Douro

Agenda de Eventos Acontece

Taxa de câmbio

Advertisement

You cannot copy content of this page
X
X