Mariela com sua filha Olivia. Foto: Arquivo pessoal
Destaques Gente News Vida & Saúde

Superação e exemplo: Paciente de câncer cria rede de apoio a mulheres na Flórida

Mariela venceu o câncer de mama aos 23 anos de idade, hoje, está de volta aos tratamentos com tumores no cérebro, mas é exemplo de positividade ao criar uma rede de apoio para novos pacientes

Embora muitos só se engajem no assunto durante o mês de outubro, todo dia é dia de se conscientizar acerca do Câncer de Mama, assim pensa Mariela Fontenelle, fundadora da organização ‘Boobie Troopers’. Mariela vive no sul da Flórida, em Boca Raton, filha de pai brasileiro, é um exemplo de força e superação para inúmeras mulheres.

Em sua história, Mariela vivenciou os desafios do câncer desde muito nova. Sua mãe foi diagnosticada com a doença quando ela tinha 16 anos, e a filha acompanhou seus últimos anos de vida sendo rede de apoio ao seu lado, enquanto cuidava também de seu irmão mais novo. Um pouco mais tarde, em 2013, quando Mariela estava com seus 23 anos, ela foi diagnosticada com câncer de mama no estágio 1.

Durante toda sua caminhada, Mariela manteve um olhar confiante e grato: “Eu posso ver que sempre fui muito abençoada. Sou agradecida por ter uma família maravilhosa e amigos tão bons. Quando fui diagnosticada em 2013, um exército de amigos, familiares, e até pessoas que não me conheciam, se juntaram para lutar ao meu lado”.

Mariela prepara os “care bags”, um kit repleto de itens para presentear pacientes da quimioterapia. Foto: Arquivo pessoal

Desde então, Mariela entendeu que as pessoas queridas em sua vida, quando se aliaram à ela na batalha contra o câncer, se transformaram em uma verdadeira tropa, formando um exército de solidariedade. “Ter essa tropa ao meu lado, me apoiando com tanto cuidado, amor e orações, tornou essa batalha mais fácil”.

Embora Mariela tenha vencido os tumores na mama, hoje, aos 30 anos, ela enfrenta o câncer de novo, mas agora, sua tropa cresceu ainda mais. Assim como ela esteve ao lado de sua mãe, hoje, ela enfrenta essa luta ao lado de Olivia, sua filha pequena, e de seu marido. Mariela faz questão de transformar todo o carinho que ela recebe em altruísmo, por isso, ela se coloca como rede de apoio para muitas pessoas que, assim como ela, lutam contra o diagnóstico.

Ao invés de se lamentar, Mariela decidiu ser luz na vida de tantos outros. Durante os meses de confinamento no último ano, ela criou a organização sem fins lucrativos ‘Boobie Troopers’, que distribui “care bags”, um kit repleto de itens para presentear pacientes da quimioterapia no hospital local, que estão tendo que viver essa batalha isolados, devido ao distanciamento social imposto pela pandemia.

A princípio, o objetivo era distribuir 50 kits, com a ajuda de doações de amigos e familiares, durante o Outubro Rosa, mês de conscientização do câncer de mama. Rapidamente, o projeto foi ficando conhecido, e pessoas de toda a parte entraram em contato, mostrando interesse em contribuir e se tornarem “Troopers”. O sucesso fez com que o trabalho da organização se estendesse para além do mês de outubro, se consolidando como organização. Até hoje, já foram entregues 350 care bags para pacientes da Flórida.

Mariela prepara os “care bags”, um kit repleto de itens para presentear pacientes da quimioterapia. Fotos: Arquivo pessoal

Uma rede de suporte foi essencial em sua batalha e hoje, Mariela se oferece para transformar a vida de diversas pessoas, mesmo aquelas que ela nunca havia conhecido antes. Em entrevista, ela disserta sobre a importância do elo social na vida dos pacientes, e dá um recado de carinho e empoderamento para mulheres jovens que hoje vivem uma situação como a dela.

Qual recado você gostaria de dar para uma jovem que acaba de ser diagnosticada com câncer de mama?

M.F: “Primeiro de tudo, nunca desista! Nunca aceite o fato que você tem câncer, não deixe o câncer te dominar, assuma o controle sobre você mesma. Se mantenha positivo, aconteça o que acontecer. Acredite que você já está curada e dessa forma você estará, a sua mente tem poder sobre a sua realidade. Vocalize: não tenha medo de fazer perguntas, não tenha medo de chegar até pessoas que passaram pela mesma situação, porque dessa forma você terá certeza que não está batalhando sozinha”.

Qual é a importância, tanto em nível social, quanto individual, de criar laços e consolidar uma comunidade entre mulheres jovens que estão na batalha contra o câncer de mama?

M.F: “A luta contra o câncer pode ser muito solitária, especialmente quando aqueles ao seu redor não estão vivenciando as dificuldades do diagnóstico da mesma forma que você. Por isso ter uma comunidade de mulheres que passaram, ou estão passando, pelos mesmos obstáculos que você, torna a situação muito mais fácil e confortável, pois você se permite estar vulnerável e aberta para falar sobre essa luta e compartilhar experiências. São coisas que só quem passou por isso entende, coisas como aparência corporal, por exemplo.

Passar pela Lumpectomia (remoção cirúrgica de uma pequena parte da mama) ou Mastectomia (remoção de uma ou ambas as mamas), além da quimioterapia e da radiação é uma tarefa difícil. A alteração de uma das mais íntimas partes do corpo feminino pode afetar a auto estima e até mesmo as relações e a vida em família. Por isso, compartilhar essas dificuldades quando se há uma similaridade da situação com outras mulheres, traz conforto e mudanças verdadeiras”.

Para aqueles que têm interesse em se aliar à tropa de Mariela e se tornar um Trooper, acesse www.boobietroopers.com ou entre em contato pela página ‘Boobie Troopers’ no Facebook.

‘Boobie Troopers’, um exército de solidariedade em ação!
You cannot copy content of this page