Cinema

Realidade ou ficção? As 7 mortes mais marcantes do cinema

Sending
User Review
0 (0 votes)

A sétima arte comove a todos, seja por uma comédia romântica, seja por um drama. A verdade é que o cinema retrata a realidade, inclusive, quando se trata da morte. As diferentes emoções geradas são importantes, porque demonstram diferentes épocas e posições sociais.

Isso deixa claro que o cinema mexe com os nossos sentimentos de variadas formas. Com os filmes, você pode sonhar, agradecer e amar. Mas também pode chorar. A psicologia explica as sensações.

Conforme observa a psicóloga Birgit Wolz, especialista em filmes como terapia, o cinema transmite as ideias por meio da emoção. Com isso, consegue neutralizar o instinto de reprimir os sentimentos. Ou seja, quem está assistindo tem uma liberação emocional.

Por exemplo, quem esquece da morte de Jack Dawson, o personagem de Leonardo DiCaprio, em Titanic? Ou de Scar jogando Mufasa no precipício para que morresse pisoteado?

Apesar dessas cenas terem sido muito fortes, ainda existem outras que marcaram e comoveram os espectadores. A seguir, listamos as 7 principais.

1. Marion Crane — Psicose

Quando se fala em mortes marcantes e emocionantes do cinema, é preciso falar de Psicose. Inclusive, só ao citar esse clássico de Alfred Hitchcock, a música da cena já vem à cabeça.

Basicamente, a trama fala de Marion Crane, que roubou dinheiro do patrão e foge. O problema é que ela resolve passar a noite no hotel de Norman Bates, um dos psicopatas mais famosos do cinema.

Durante o banho, surge a sombra de uma pessoa com uma faca nas mãos. Marion grita de forma desesperadora e a cena mostra o sangue escorrendo pelo ralo do box. A música de suspense ajuda a tornar a morte ainda mais impactante.

2. Thomas — Meu Primeiro Amor

Toda criança dos anos 1990 já assistiu a esse filme. Ele é lindo, porque trata do amor entre duas crianças. Porém, a história também tem uma das mortes mais marcantes e comoventes da sétima arte.

Apesar de Thomas falecer somente ao final da trama, sua amiga e grande amor, Vada, já perdeu a mãe e ajuda seu pai a lidar com os mortos. Afinal, ele é dono da funerária da cidade e tem o setor de necromaquiagem.

Durante a trama, Vada e Thomas dão seu primeiro beijo. O problema acontece quando os dois procuram um anel perdido e o menino é atacado por centenas de abelhas, sendo alérgico às picadas. Ele não resiste, morre e tem seu velório realizado com a participação da amiga. 

3. Guido — A Vida é Bela

O filme italiano é um daqueles que se pode chorar o tempo todo. Contando as atrocidades da 2ª Guerra Mundial, a película é incrível. Isso porque conta a história de pai e filho em um campo de concentração. Porém, o pai, Guido, faz brincadeiras para que o filho, Giosué, não perceba o que eles passam.

Além dessa trama toda já ser comovente, ao final, Guido morre. A história toda é tão comovente que causou lágrimas em milhões de pessoas e o filme ganhou 3 estatuetas do Oscar.

4. Noah e Allie — Diário de uma Paixão

A história de Nicholas Sparks foi adaptada para o cinema e conquistou milhares de corações mundo afora. Afinal, Noah e Allie protagonizaram uma das histórias românticas mais lindas do mundo da literatura — e da sétima arte.

Basicamente, Noah reconta a história do casal ao ler o diário de Allie para ela, que tem Alzheimer. Ao final do filme, ela tem uma crise e é internada na clínica em que ambos moram. No meio da madrugada, Noah foge do quarto e entra no quarto dela, deitando ao seu lado. Os dois são encontrados mortos, de mãos dadas.

Apesar de não ter nada de diferente, é uma das mortes mais marcantes e comoventes do cinema devido ao amor que existe entre os dois personagens. É algo que muita gente imagina para a sua vida.

5. Marley — Marley & Eu

A história baseada em fatos reais conta como a vida da família de John Grogan foi criada a partir de seu casamento e da adoção de Marley, um labrador adorável, mas que comia tudo que via pela frente. Ao longo do filme, você verifica as dificuldades da rotina, assim como suas alegrias.

Depois de 3 filhos, uma mudança e uma nova perspectiva na carreira, John Grogan vê Marley ficar doente devido a tudo que come. Ele acaba sofrendo eutanásia e tem um funeral no quinto, altamente emocionante com toda a família do filme.

6. John Coffey — À Espera de um Milagre

Esse filme nós tiramos de uma lista com algumas mortes comoventes do cinema criada pelo Laços para Sempre,  um e-commerce especializado na entrega de coroas de flores e homenagens póstumas

Julgado erroneamente pelo suposto assassinato de duas crianças, John Coffey passa angústia aos telespectadores. Além da injustiça, o filme mostra a sensibilidade, a ilusão e a inocência de um menino.

Ao final, ele acaba na cadeira elétrica e é morto, mesmo sem ter cometido nenhum crime. Durante a trama, a frase mais marcante do personagem é “desculpe pelo que 

7. Bonnie e Clyde — Bonnie & Clyde

A dupla cometeu assaltos, assassinatos e fugiu da polícia durante a década de 1930. Na verdade, Bonnie se apaixona por Clyde, ex-presidiário e o segue. A história foi tão marcante que foi para as telonas.

A morte também é real. Ambos foram perseguidos pela polícia, até serem baleados e mortos. O filme de 1967 teve essa cena caracterizada como muito violenta. Porém, é emocionante. Além disso, o filme mudou a linguagem do cinema e acabou com alguns tabus. Inclusive, teve uma grande bilheteria na época.

O cinema é um reflexo da realidade e acaba nos ajudando, muitas vezes, a lidar com uma realidade que vai atingir a todos: a morte e a despedida de entes queridos ou amigos próximos. 

Advertisement

Agenda de Eventos Acontece

Taxa de câmbio

Taxas de câmbio USD: qua, 28 fev.

Advertisement

Advertisement

Categorias

You cannot copy content of this page