Foto: Zhang Kaiyv/Pexels
Pets

Conhecendo as Raças – GATO PERSA

Sending
User Review
0 (0 votes)

O gato Persa foi encontrado no século 17 vagando pelas ruas da Pérsia, hoje Irã, por um explorador italiano, Pietro Della Valle. Encantou e continua encantando a todos até hoje por ter um narizinho achatado e uma pelagem longa e macia. No século 19, quando a criação e exposição de animais se tornou mais popular, os gatos persas foram levados para a Inglaterra para melhoramento genético com o cruzamento com a raça Angorá. O objetivo era de uma maior variedade da coloração do pelo. Hoje há mais de 100 padrões de pelagens.

Você conhece algum persa famoso? Claro que sim. A raça já apareceu em livros e filmes. O maior sucesso é o sínico e preguiçoso Garfield. Também teve participação especial nos filmes Stuart Little, Como Cães e Gatos, Harry Potter e até em dois filmes do James Bond.

Os persas são gatinhos meigos, carinhosos e tem um grande apego pelos seus “protetores”. Um dos fatores favoráveis da raça e o que encanta os moradores de apartamento é por terem miados infrequentes e baixinhos. Mas como toda moeda, o persa também tem dois lados, uma das características desfavoráveis e talvez a principal, é a pelagem. Longa e tremendamente trabalhosa, forma nós com facilidade que são quase impossíveis de desfazer. Necessitam de cuidados diários de limpeza e asseio, inclusive dos olhos.

O outro fator importante é o focinho. Alguns persas têm o focinho mais alongado, os “doll face”, mas os mais procurados são os de nariz achatado, “flat face”. Esses têm mais dificuldade de viver em temperaturas altas e desenvolvem problemas respiratórios com mais frequência.

Os persas são gatinhos dorminhocos e não muito ativos, são amantes da família e tímidos com os visitantes. Apesar de gostarem de crianças, preferem casas mais calmas pois se estressam facilmente quando há muita agitação.

Fique atento se sua escolha focar somente na beleza. A pelagem de cor branca com olhos azuis, geneticamente, é relacionada com problema de surdez.

Quando falamos de cuidados, os persas, são seres que se encaixam muito bem ao dizer: “Precisa-se de uma aldeia para cuidar dos gatos persas”. Precisam ser escovados diariamente para evitar os nós e a ingestão de pelos quanto o gatinho se limpa, o que pode causar vômito, gastrite e até obstruções intestinais por bolas de pelo. Os olhos e narinas tendem a estar sempre sujas, requerendo limpeza constante. Tem facilidade de acumular a areia do “banheiro”, urina e fezes nos pelos das patinhas e cauda, necessitando limpeza e tosa de manutenção.

Quanto focamos na saúde as coisas também não são muito simples. São sujeitos a várias doenças genéticas, como insuficiência renal crônica, cardiomiopatia hipertrófica (aumento do musculo cardíaco), atrofia da retina e displasia do quadril.

Braquicefálicos são animais de focinho chato como os gatos persas e por isso estão mais sujeitos a deformidades de mandíbula, alinhamento de dentes, podem ter dificuldade respiratória, precisando de cirurgia para aumentar as narinas e diminuir o palato mole, e até um lacrimejar constante por dificuldade na drenagem pelo ducto lacrimal.

E aí, tempo livre o suficiente para cuidar de um lindo gatinho persa? Então vamos lá: procure um criador responsável e lembre-se de sempre buscar um veterinário para ajudar na decisão e escolha do seu novo companheiro.

Comente

Clique aqui para comentar

Agenda de Eventos Acontece

Taxa de câmbio

Advertisement

You cannot copy content of this page
X
X