Foto: Pexels/Pavel Danilyuk
Decor Myrna Porcaro

Boas Festas 2020

Estamos nos aproximando do fim do ano de 2020. O ano mais diferente de nossas vidas. Com seu final vêm as comemorações usuais, mas que esse ano deverão também ser diferentes. São festas familiares, entre parceiros de trabalho, entre amigos. Com certeza a vacina contra o Covid-19 não estará ainda acessível. Precisamos nos conscientizar e aos que amamos que ainda corremos muitos riscos.
Nessa realidade longas celebrações que envolvem grande número de pessoas são desaconselhadas. Os idosos e demais integrantes de grupos de risco ainda necessitam de atenção especial.

A questão principal é o contato com outras pessoas, principalmente em momento de alimentação: vai haver risco. Temos que nos convencer de que as festas serão adaptadas, precisamos ter bom senso: reuniões com mais de 20 pessoas deverão ser evitadas.
Quanto mais pessoas se juntarem, principalmente vindas de lugares diferentes, maior vai ser o risco de acontecer uma tragédia na família. Para não transformar o seu fim de ano em um momento de dor, a recomendação é que haja um grande esforço para evitar o contato.

Além das medidas de prevenção da infecção pelo coronavírus, é preciso considerar outro fator importantíssimo: a saúde mental. Pessoas que vêm enfrentando muito tempo de isolamento já podem estar sentindo sinais de humor depressivo e ansiedade.

Nessa ocasião, avaliam-se o ano que passou, as conquistas, as frustrações, as relações afetivas. E 2020 atrapalhou os planos de forma geral com perdas de pesos variáveis, muitas delas irreversíveis. Ainda será preciso aprender a conviver com o vírus. Para não desperdiçar o significado de reunião e conexão desses festejos, devemos utilizar a criatividade.

Tem que pensar em como demonstrar o amor. Criar. Se for o caso, passar na frente da casa de alguém, organizar uma festinha de longe, entregar uma cesta bonita, mandar um bolo, flores etc… A seguir, confira algumas dicas:

Tamanho, local e duração das festas

• O mais cauteloso é organizar comemorações com duração e número de pessoas reduzidos em relação a anos anteriores. Procure restringir a lista de convidados ao núcleo familiar mais próximo ou que conviveu durante os últimos meses. Um ano de tantas limitações e cuidados não pode ser desperdiçado.

• Escolha ambientes ao ar livre ou com boa circulação de ar. Priorize as varandas, jardins para montar o Buffet e as mesas. Pense em toldos ou sombreiros para caso chova no dia.

• Mais vulneráveis à doença, os idosos não precisam ser privados desses encontros, mas devem ser mantidos em segurança, com máscara e afastados dos demais.

Quem estiver em isolamento desde o início da pandemia precisa tomar mais cuidado do que aqueles que já restabeleceram a circulação por determinados lugares.

• Reflita sobre a distribuição mais adequada dos participantes. Idosos ao redor da mesa e demais participantes em outros pontos pode ser uma saída. Observe sempre a distância segura entre todos.

• Crianças que já tiverem retornado às aulas presenciais representarão um risco maior de transmissibilidade do coronavírus.

Comportamento dos convidados

• Deve-se manter o distanciamento de um metro e meio a dois metros.

• A máscara só deve ser retirada na hora de comer e beber. Nesses momentos, se o acessório ainda estiver em condições de seguir em uso depois, acondicione-o em uma embalagem limpa. Leve outras unidades para trocar (após duas horas de uso ou quando ficar úmida).

• Evitar o toque continua sendo fundamental. Beijos, abraços e apertos de mão ainda são saudações não recomendadas.

• Por mais que avós e netos estejam com muita saudade do convívio próximo, não é o momento de afrouxar as restrições. Não tocar é uma demonstração de afeto e cuidado. Claro que há exceções: entre pessoas que estão convivendo ao longo do ano e se mantém protegidas.

• Beber demais significa aumentar o risco de se expor a comportamentos de risco – a certo ponto da festa, alguns podem acabar retirando a máscara e desrespeitando as demais orientações de segurança.

• Falar alto, gritar, cantar: quanto mais exercício vocal for feito, maior é a capacidade de disseminar gotículas com vírus no ambiente.

Celebrações entre amigos e colegas de trabalho
• Valem as mesmas regras das festas familiares: não promova aglomerações ou encontros que durem horas e horas.

• Uma coisa é promover festinhas entre as pessoas que estão habituadas a trabalhar juntas – e que já são as acostumadas umas das outras –, e outra, bem diferente, é reunir os amigos que não se vêem desde março. Para quem está longe há meses, vale renovar o esforço em prol da saúde e esperar mais um pouco.

Com certeza é importante comemorar junto com que amamos um ano de tantas provações e superações. Boas comemorações e muita saúde a todos!

Por Myrna Porcaro
Interior Designer na Flórida onde assina diversos projetos residenciais. Para conhecer mais seu trabalho, visite o site myrnaporcaro.com ou Instagram @myrnagondimporcaro

You cannot copy content of this page