JOHN TOWNER on Unsplashed
Geral Vida e Saúde

A Esperança e suas formas

Sending
User Review
0 (0 votes)

Por Gilberto Aurélio Bordini

            “A esperança é a última que morre” é um dito popular que todos conhecemos e que neste tempo de pandemia persiste. Porém, diante de situações de extrema adversidade nos parece difícil acreditar que a esperança exista. Achamos que só aconteça quando está tudo bem, de vez em quando, aparece e torna a desaparecer. Esperançar é uma espécie de ilusão, estamos cansados de esperar e nada acontecer, temos todos os motivos para não acreditar.

            A esperança sempre foi uma exortação de Papas. João Paulo II, por exemplo, escreveu o livro “No Limiar da Esperança” diante de tantos problemas que a Igreja passava, ele acreditava em suas soluções. Já o Papa Bento XVI escreveu uma encíclica falando da esperança, que por ela fomos salvos. E o Papa Francisco, na exortação “A Alegria do Evangelho”, fala da alegria de viver no meio das pequenas coisas. No campo da filosofia, Gabriel Marcel falava que a esperança “é um pensamento objetivo”. Para Aristóteles a esperança “é o sonho do homem acordado”. E como não falar do mito de Pandora, aquele que ilustra bem: depois de todas as desgraças do mundo vem a esperança.

            O brasileiro é conhecido mundialmente por ser alegre, descontraído, contagiante e esperançoso. Confia que tudo vai dar certo, que amanhã será um novo dia, almejando uma esperança que ultrapassa a realidade. Para este povo ela toma a forma de uma vacina que irá trazer segurança, ou a forma de pessoas que trabalham incansavelmente (como os profissionais da saúde) para nos dar alento, ou ainda a forma da solidariedade que nos mostra uma força para seguir o caminho. Tem a forma da ciência, iluminada pela inteligência e que faz descobrir novas perspectivas. E ela vem também na forma de um otimismo singular que só o brasileiro possui. Por isso, a esperança não morre, nem está escondida no fundo de uma caixa, ela é uma tendência que almejamos, um antídoto que cura contra o pessimismo e a desesperança. A esperança, em todas as suas formas, nos faz acreditar que tudo vai passar.

Serviço:

Gilberto Aurélio Bordini é doutor em Teologia e professor da Área de Humanidades do Centro Universitário Internacional UNINTER, que oferece mais de 200 cursos de graduação e pós-graduação, com polos presenciais em Atlanta, Boston, Fort Lauderdale, Houston, Miami, Newark, Orlando, Salt Lake City e Washington-DC. uninteramericas.com 833-605-1255

You cannot copy content of this page
X