O buldogue francês é uma raças branquicefálica, como pode ver pelo focinho curto. Foto: Pexels/Anna Shvsets
Cecilia Magalhães Pets

Insolação, risco inesperado

Drª. Cecilia Magalhães é médica veterinária há 39 anos. Atende em domicílio. E-mail: info@vethomeexpress.com | vethomeexpress.com | (954) 243-0269 | facebook.com/vethomeexpress | instagram.com/vethomeexpress/
Sending
User Review
0 (0 votes)

Na semana passada vi um colega tentando salvar um animalzinho que havia ido à praia com a família para uma tarde de brincadeiras e alegria. Mas o dia não terminou como planejado. O cãozinho, que era braquicefálico, teve uma insolação e acabou morrendo.

Você sabe o que é uma raça braquicefálica?

Vamos aprender sobre esses pets e os cuidados especiais que necessitam.

A popularidade de algumas raças pode surgir através de um filme ou o favoritismo entre os famosos. Tivemos a popularidade do pastor alemão, collie, sheltie, dálmata, jack russel, pequinês, cocker spaniel, shih tzu, pug, bulldogue inglês. Atualmente as raças mais populares são o labrador, golden retriever, bulldogue francês e o boston terrier.

Muitas dessas são raças braquicefálicas, como o buldogue francês, buldogue inglês, shih tzu, boxer, boston terrier, pug e pequinês. Entre as raças de gatos braquicefálicos as mais populares são o persa e o gato do Himalaia.

Braquicefálicos são conhecidos popularmente como raças de focinho curto ou chato. Por essa característica eles podem ter estreitamento das narinas e alongamento do palato mole. Essas alterações anatômicas favorecem uma maior dificuldade respiratória e de troca de ar com os pulmões, gerando uma dificuldade na troca de calor, hipertermia e, consequentemente, um aquecimento corpóreo, que pode levar até a morte.

Gatinho persa descansando na sombra. Foto: Pexels/Bianca Vogt

Devido a popularidade dessas raças, vamos fazer alguns alertas justamente para evitar uma tragédia por falta de conhecimento:

Alerta 1: A dificuldade respiratória, intolerância ao exercício físico e o ronco podem ser sinais importantes a serem considerados na primeira visita ao seu veterinário. Somente o veterinário será capaz de examinar e determinar a necessidade de cirurgia. Mesmo que o seu animalzinho não seja mais filhote ou jovem, não deixe de levá-lo para uma avaliação se esses sinais são comuns no seu pet. Com o passar do tempo as coisas não melhoram – ao contrário, a dificuldade respiratória poderá levar a outros problemas, como no coração.

Alerta 2: Para manter a saúde e bem-estar do seu amiguinho, tenha muito cuidado quando o levar ao parque ou à praia. Nos dias mais quentes e úmidos, os braquicefálicos, por terem dificuldade em controlar a temperatura corpórea com frequência, podem ter um colapso e, infelizmente, resultar em morte.

Como evitar essa situação? Leve-o para brincar nos momentos de temperatura amena, pare a brincadeira ou exercício de tempo em tempo e ofereça água.

Alerta 3: Se você normalmente viaja com o seu companheiro, se informe com antecedência com a companhia aérea que planeja utilizar. Muitas companhias não transportam braquicefálicos como carga e, nos últimos meses, algumas mudanças vêm ocorrendo quanto à possibilidade de levar o seu pet dentro da cabine do avião.

Dica: Não ache bonitinho o ronco do seu pet, peça ajuda ao seu veterinário para diagnosticar o problema.

Se você quiser conhecer mais detalhes de uma raça, mande um e-mail, sua dúvida pode aparecer no próximo artigo.

Comente

Clique aqui para comentar

You cannot copy content of this page
X