Roberto Ricieri
Arte

“A arte me ajudou a conquistar a liberdade”

Conheça a seguir a história de Roberto Ricieri. Um ex-empresário brasileiro, nascido em São Paulo e pai de dois filhos e que, como muitos dos imigrantes, decidiu viver o sonho americano nos EUA.
Em 1996, Roberto Ricieri chegou do Brasil e escolheu a Flórida, por já ter uma empresa de exportação de produtos (a Belmont Trading Corporation) e por considerar Miami um ponto fácil de conexão com o Brasil. Mas, em 2011, a vida de Ricieri tomou um rumo diferente. O empresário foi preso nos Estados Unidos por evasão de impostos e outros crimes relacionados. A prisão aconteceu em Miami, mas Ricieri foi transferido para o Estado da Virgínia e depois para uma prisão federal na Geórgia. “Quando aconteceu a prisão, não tive contato com ninguém da minha família. Só falei com meu pai e estavam todos muito assustados, principalmente eu que não conseguia acreditar no que tinha acontecido comigo”, contou. O crime de evasão de impostos foi calculado em cerca de US$ 19 milhões de impostos ao governo e Ricieri teve todos os seus bens apreendidos. Na época, ele se divorciou da esposa (que voltou para o Brasil com os dois filhos) e passou 3 anos e 8 meses preso (após redução de pena por bom comportamento). Foi nesse período de reclusão que Ricieri encontrou um motivo para continuar vivo: a arte.
“No início, fiquei completamente perdido com um corpo sem poder utilizá-lo, sem poder ir e vir, sem poder trabalhar e apenas pensando no que tinha acontecido na minha vida. Depois, fui aprendendo a viver dentro do sistema e comecei a pintar quadros praticamente o dia todo, desde às 8 da manhã até às 9 da noite. Só parava para comer”, relembra. A arte trouxe para Ricieri uma nova perspectiva de vida. Dentro da prisão, ele descobriu um ateliê que dava aulas de desenho e pintura para os detentos. Após 3 meses de curso, ele já dava aulas de pintura para os outros detentos. “Fiz o curso de tutor e por ter diploma de Bacharel em Direito, foi mais fácil ser aprovado para dar aulas”, disse o hoje artista plástico.
Quando conseguiu a liberdade, Ricieri trouxe para o lado de fora todo o trabalho que realizou dentro da prisão. O primeiro passo foi organizar suas obras, emoldurá-las e classificá-las em coleções que foram registradas em um livro. “Mesmo preso, eu encontrava a liberdade na pintura. Nada me fazia sentir tão livre, quanto poder criar os meus quadros.”
O trabalho de Ricieri reflete toda essa experiência pela qual passou, e a mudança que trouxe para sua vida. “Minhas obras sempre irão refletir o momento de reclusão, pois a reclusão é um trauma e isso nunca se apagará da minha memória. Hoje os meus valores são outros, a perspectiva do mundo é outra e descobri que o que importa é viver hoje e não amanhã, pois o amanhã pode não existir”, contou.
Roberto Ricieri tem hoje 2 mil obras concluídas, que incluem desenho, acrílico sobre tela, óleo sobre tela, esculturas e livros, entre eles o já publicado “Art Born from Captivity”
Para o futuro, ele quer usar da sua história como um exemplo de determinação e superação através da arte. “Daqui para a frente espero poder continuar pintando e mostrando ao mundo o meu trabalho, como ele nasceu e como a arte me ajudou a conquistar a liberdade.”

Roberto Ricieri com uma de suas telas

You cannot copy content of this page