Vida e Saúde

Saiba quando procurar o dentista durante a pandemia

Saúde bucal não pode ser deixada de lado e ações preventivas pedem uma visita ao profissional para que danos maiores possam ser evitados. Veja quando é imprescindível procurar um profissional.

O medo do contágio do Covid-19 tem feito muitos evitarem o dentista em vista do receio de contaminação. No entanto, com as medidas certas de higiene e profilaxia, os consultórios dentários se tornam ambientes controlados e seguros, que não oferecem risco ao paciente.

“Com a observação da assepsia e os cuidados constantes, podemos dizer que o risco de contágio é zerado, já que o ambiente torna-se antisséptico”, diz Olívia Kiehl, dentista que atua na área de odontologia preventiva.

Ela explica que no consultório onde atende é realizada a assepsia do local, objetos, superfícies e ar condicionado. Também o atendimento é feito com intervalos entre os horários, tempo necessário para todo aerossol que fica no ar decantar. Além disso, é realizada a higienização do chão e superfícies com álcool 70° e um spray virucida e bactericida. O mesmo spray foi ainda acoplado ao ar condicionado, que pulveriza o ambiente eliminando toda partícula que possa gerar contaminação.

A profissional alerta que os cuidados devem ser redobrados pelo paciente em outros ambientes compartilhados, já que no consultório todas as medidas são tomadas.

Anuladas as chances de contaminação, a visita periódica ao dentista – pelo menos a cada seis meses – é necessária, mesmo sem sinais de dor ou desconforto visíveis na região bucal.

“Uma doença periodontal por exemplo danifica o tecido que suporta os dentes. Essa doença, no entanto, é indolor, o que leva ao desconhecimento de sua existência. Os primeiros sintomas aparecem somente quando os dentes começam a amolecer, quando infelizmente é muito tarde, pois a estrutura óssea já estará comprometida”, explica a dentista. Ela enfatiza que a prevenção é fundamental para diagnosticar doenças em estágio precoce.

A profissional, no entanto, aponta que existem situações emergenciais que determinam uma ida imediata ao dentista. São elas:

  • Tártaro ao redor da gengiva
  • Uma bolinha de pus, como se fosse uma espinha na gengiva
  • Aftas que durem mais que 7 dias
  • Aftas na borda da língua e embaixo da língua
  • Inchaço, depois de alguma dor de dente, na região facial.
  • Amolecimento de algum dente, mesmo que apenas por um período curto
  • Quando o Implante estiver “balançando”.
You cannot copy content of this page