Economia

Guerra da Rússia X Ucrânia: impacto na indústria de games

Sending
User Review
0 (0 votes)

Guerra na Ucrânia impacta crescimento de eSports: empresas de jogos aderem a boicote russo e tentam proteger equipes

Desde o início da invasão da Rússia à Ucrânia, distribuidoras, produtoras e estúdios de jogos virtuais declararam publicamente repúdio à guerra e divulgaram doações e iniciativas com a finalidade de auxiliar as vítimas do conflito.

Nos últimos dias, várias empresas de games aderiram ao boicote ao mercado russo para pressionar o país a desistir da guerra. Ao cortar relações comerciais com a Rússia, a indústria de games abre mão de mercado de US$ 3.4 bilhões, diz SJ Santos, especialista em games, fundador e CEO da Honkytonk Games, uma das muitas empresas brasileiras impactadas pela guerra.

Segundo estimativas da IDG Consulting, a receita de jogos de toda a Europa é de US$ 51,5 bilhões e a Rússia responde por 6% de todos os gastos com videogames em todo o continente, incluindo 8% de todo o dinheiro gasto em jogos para celular e 12% de todas as receitas de jogos para PC. A Newzoo informa que a Rússia é o sexto maior mercado da Europa e o 15º maior do mundo. Sony, Microsoft e Nintendo já puxaram as vendas para este país.

As receitas de jogos na Rússia com a GamesIndustry.biz, conforme a IDG Consulting, geraram cerca de US$3,4 bilhões no ano passado.  O panorama mudou, no entanto, com a guerra entre Rússia e Ucrânia. O Twitch, por exemplo, comunicou aos streamers russos que eles não receberiam mais pagamentos ou poderiam fazer compras se sua conta estivesse vinculada a um dos bancos russos afetados pelas sanções. Da mesma forma, as restrições às instituições financeiras podem ser um fator pelo qual a Nintendo suspendeu os pagamentos em rublos russos e colocou o Switch eShop em modo de manutenção para a região.

A empresa polonesa CD Projekt, conhecida pela série “The Witcher” e pelo jogo “Cyberpunk 2077”, anunciou em 3 de março a suspensão da venda de seus jogos de forma física e virtual na Rússia e em Belarus, que apoia a invasão à Ucrânia. O bloqueio se estende também a todos os títulos da loja virtual do grupo. O estúdio ucraniano GSC Game World, um dos principais da Ucrânia e responsável pelo desenvolvimento da série de videogame Stalker, da Microsoft, publicou em 24 de março um comunicado oficial dizendo que a Ucrânia lutará para se defender e que, mesmo com um futuro incerto, esperam pelo melhor. Em 21 de março a Epic Games anunciou no Twitter que todos os lucros das vendas do Fortnite até 3 de abril serão doados para ajuda humanitária para pessoas afetadas pela guerra na Ucrânia. Após o anúncio, o Xbox disse no Twitter que se juntaria à Epic e também doaria os lucros das vendas do Fortnite para ações sociais e pelo mesmo período. O Twitch informou aos streamers russos que eles não receberiam pagamentos ou poderiam fazer compras se sua conta estivesse vinculada a um dos bancos russos afetados pelas sanções.

Microsoft, Take-Two Interactive, Ubisoft, Electronic Arts, Activision Blizzard, Epic Games, CD Projekt e Bloober Team, Supercell e CI Games tomaram uma posição ativa em relação à guerra, enquanto outras empresas estão cumprindo as sanções econômicas impostas pela UE, EUA e outras nações.

O panorama da guerra interrompeu os planos de investimento de empresas como a de SJ Santos, que atua com eSports e criptomoedas de games pela HonkyTonk. “Todos os planos de investimento que tínhamos para 2022 foram por água abaixo, os sistemas estão instáveis, não se consegue fazer pagamento para a Rússia”, diz o CEO, que até então mantinha um importante cliente na Rússia.

“O jogador russo está sem poder comprar os itens e jogar, a empresa não dá mais suporte para ele, os sistemas estão instáveis e o país, a indústria de jogos vai deixar de ganhar dinheiro dentro da Rússia. Empresas russas que produzem jogos deixam de acessar, os jogos internacionais deixam de faturar, jogadores brasileiros e quem produz jogo lá deixam de ganhar dinheiro. O impacto é grande e afeta empresas no mundo todo”, avalia.

Sobre Honkytonk Games: A marca nasceu como uma consultoria de marketing especializada na indústria de games, que durante a pandemia se reinventou. Incorporou também a produção de conteúdo e a criação de campeonatos de eSports de forma remota. Hoje, atinge durante as transmissões uma média 2,8 milhões de espectadores por mês.

Sobre SJ Santos: Especialista em games, eSports e criptomoedas de games, o fundador da empresa tem passagens por grandes veículos de comunicação. Possui experiência internacional na Europa, Estados Unidos e China, e também em desenvolvedoras e publicadoras de games.

Advertisement

Agenda de Eventos Acontece

Taxa de câmbio

CurrencyRate

Advertisement

You cannot copy content of this page

X
X