Business

O poder de marketing dos influenciadores

Uma das estratégias mais impactantes de vendas online, hoje em dia, é a que se utiliza de influenciadores digitais. São personalidades, especialistas e formadores de opinião que têm a capacidade de gerar relacionamento e apresentar marcas a um público específico com bastante assertividade. De acordo com o Instituto Qualibest, os influenciadores detêm um poder que faz com que 86% das pessoas que usam a internet já tenham visto algum produto por meio de uma ação de marketing de influência, e 73% dos usuários das redes já compraram algum produto ou contrataram serviços indicados pelos influenciadores. Não é pouco, definitivamente. Se você ainda tem algum tipo de resistência com essa forma de ação, é hora de rever alguns conceitos do marketing e as estratégias para a sua marca.

Outro número importante da pesquisa mostra que pelo menos 55% das pessoas que estão na internet dizem considerar confiáveis os influenciadores que escolheram acompanhar. Então, parece que é hora de as empresas e marcas que querem se fortalecer, mas ainda não estão convencidas, também confiarem nos influenciadores. O investimento em anúncios ainda é, e deve continuar sendo, a estratégia mais usada pelos empreendedores para o reconhecimento da marca, mas o uso do marketing de influência já ocupa o segundo lugar dentre as estratégias de vendas.

O que vale ressaltar sempre é que as ações estratégicas de marketing não devem mirar apenas a venda direta. As marcas têm de pensar nas parcerias com os influenciadores para fortalecer a própria imagem, seus posicionamentos, convicções e ideais. Criar engajamento também pelo que está por trás das marcas e pode ser levado ao mundo por um influenciador. Por isso, é necessário que a marca saiba identificar o seu tom e, dentro do planejamento, saiba escolher quem são os influenciadores digitais que vão fazer chegar as mensagens da marca no nicho desejado de forma assertiva, com clareza no discurso e com aceitação.

A partir daí, é imprescindível pensar em quem são os influenciadores. Ter influência não significa ter muitos seguidores, apenas. A análise fria dos números pode acabar até levando uma parceria para o buraco. Aqui, um alerta: cuidado com os “influenciadores” que têm seguidores comprados. Do ponto de vista de quem vai contratar, é melhor estudar o engajamento na conta do influenciador. O influenciador é aquele que gera conteúdo de valor, que conversa e tem relevância para um público, independentemente do tamanho. Então, para pensar na estratégia de marketing de influência, deve-se reconhecer a audiência desejada e identificar o potencial influenciador para aproximar marca e público, através de uma linguagem em comum. O influenciador tem de ter liberdade para criar campanhas junto da marca, e manter a sua autenticidade ao participar de qualquer ação publicitária.

Segundo os números apresentados por Rafael Kiso, fundador do portal mLabs, influenciadores digitais são a segunda maior fonte de influência para compra de produtos, atrás apenas de parentes e amigos (50% de compradores formar a opinião sobre os produtos com os influenciadores, contra 56% que se influenciam por parentes e amigos).

Por último, outro fator importante a ser considerado pelo empreendedor que procura um influenciador é o tempo de retorno estimado. Mais uma vez: planejamento! Faz parte dos princípios básicos do marketing. Nem sempre o retorno será imediato, mas pode significar um bom crescimento da marca a médio prazo. Tudo dependerá das histórias contadas e da transparência das parcerias, com os objetivos traçados dentro da realidade. É um trabalho em conjunto, que tem tudo para dar certo. Influenciadores têm força nas redes, e a sua marca também pode ter.

*Texto por Paula Tebett, produtora de conteúdo e especialista em marketing digital e mídias sociais

You cannot copy content of this page