News

EUA retiram Cuba da lista de países que não Cooperam contra terrorismo

Sending
User Review
0 (0 votes)

Em uma decisão significativa, os Estados Unidos retiraram Cuba da lista de países que não cooperam plenamente com a luta antiterrorista. A mudança foi anunciada nesta quarta-feira (15) e marca uma virada na política externa americana em relação a Cuba, apesar de Havana ainda permanecer na lista de Estados patrocinadores do terrorismo.

No relatório enviado ao Congresso, o secretário de Estado americano, Antony Blinken, destacou que quatro países – Irã, Coreia do Norte, Síria e Venezuela – continuam a “não cooperar plenamente” com a luta antiterrorista internacional. Esta lista é uma ferramenta importante para o governo dos EUA, pois influencia as relações diplomáticas e as sanções econômicas impostas a esses países.

Cuba havia sido incluída na lista de países que não cooperam contra o terrorismo durante a administração Trump, que reverteu a aproximação iniciada pelo governo Obama. A decisão de agora representa uma tentativa da administração Biden de reavaliar e possivelmente melhorar as relações com Cuba. No entanto, manter Cuba na lista de Estados patrocinadores do terrorismo indica que ainda existem sérias preocupações sobre o apoio do governo cubano a atividades terroristas ou grupos considerados terroristas pelos EUA.

A exclusão de Cuba desta lista específica, mas a manutenção de sua designação como patrocinador do terrorismo, reflete uma abordagem complexa e cuidadosa do governo Biden. É um passo que pode abrir espaço para futuras negociações e diálogos, enquanto ainda mantém pressão sobre Cuba para abordar e resolver as questões de apoio ao terrorismo.

Enquanto isso, a Venezuela permanece na lista, juntamente com Irã, Coreia do Norte e Síria. Estes países são acusados de não fazer o suficiente para combater o terrorismo e, em alguns casos, de apoiar ativamente grupos terroristas. A inclusão contínua da Venezuela, em particular, destaca as tensões persistentes entre Washington e Caracas, com a administração Biden seguindo uma linha dura semelhante à de seus antecessores.

A decisão de retirar Cuba da lista de países que não cooperam contra o terrorismo, mas mantê-la na lista de Estados patrocinadores do terrorismo, envia uma mensagem mista. Por um lado, sugere um reconhecimento de que Havana tem feito algum progresso na cooperação antiterrorista. Por outro, mantém a pressão sobre o governo cubano para que faça mais para romper seus laços com elementos terroristas.

Esta mudança poderá ter implicações importantes para as relações EUA-Cuba e para a política interna de ambos os países. Os próximos meses serão cruciais para observar se esta decisão abre caminho para um diálogo mais amplo e uma possível normalização das relações entre os dois países.

Via UOL

Advertisement

Agenda de Eventos Acontece

Taxa de câmbio

Taxas de câmbio USD: ter, 18 jun.

Advertisement

Advertisement

Categorias

You cannot copy content of this page