Vida e Saúde

Conscientização da gestação prematura

O número de partos prematuros está aumentando no mundo todo, enquanto a taxa de nascimento esta diminuindo. Mesmo que você faça tudo corretamente durante a sua gravidez, existe o risco de seu bebê nascer antes do tempo correto, ou seja, antes de 37 semanas.

Bebês que nascem prematuramente podem vir a ter mais problemas de saúde, precisam de maior tempo de internação nos berçários e alguns também poderão ter problemas de saúde a longo prazo, como por exemplo, problemas que afetam o cérebro, os pulmões, a audição ou a visão.

prematuridade é uma das causas de morte na infância abaixo de 5 anos de idade. Nascem cerca de 15 milhões de prematuros por ano no mundo todo, segundo a OMS, sendo que 1 milhão morre nas primeiras horas ou logo nos primeiros dias.

No Brasil, aproximadamente 300 mil partos/ano, acontecem antes de 37 semanas – o que caracteriza a prematuridade. Isso equivale a 9,2% dos nascimentos, uma taxa semelhante à da Alemanha e inferior à dos EUA, que é de 12%.

Nos países desenvolvidos, a prematuridade é causada pela idade materna avançada, maior uso de técnicas de reprodução assistida – gerando um maior número de gestações múltiplas – gestações gemelares, e pelo maior número de cesarianas realizadas com hora marcada (em parte que podem estar associada a erros de cálculos da idade gestacional). Já nos países mais pobres, ela está mais relacionada a malária, desnutrição e AIDS.

Os americanos estimam que a pessoa que nasça prematuramente, gastará cerca de 1,0 grama de ouro por cada segundo que ela nasceu antes da hora, ou seja, antes de 37 semanas.

Prematuridade moderada: 32 semanas e 33 semanas e 6 dias

Muito prematuro: 28 semanas até 32 semanas e 6 dias.

Prematuro extremo: de 22 semanas a 28 semanas.

Riscos conhecidos para o parto pré-termo:

  • Ter tido um bebê prematuro em gestações anteriores.
  • Infeções genitais na primeira metade da gestação, como corrimentos fétidos – chamada de “vaginose bacteriana” e as DSTs.
  • Estar gravida de gêmeos (dois, três ou mais).
  • Problemas com o seu útero ou com o seu colo do útero.

Quais as estratégias para se identificar o risco de prematuridade?

Uma das medidas de proteção e prevenção do parto prematuro é medir o comprimento do colo do uterino entre 22 e 24 semanas de gestação.

 Durante a realização do US morfológico (que é realizado nesta mesma idade da gestação), se “faz” uma ultrassonografia transvaginal (não pode e não deve ser feito o ultrassom pelo abdômen) para analisar as características do colo uterino – medir o comprimento e a forma do colo.

O que pode ser feito para se evitar a prematuridade?

 Algumas estratégias são eficazes:

  • Antes de mais nada, deve-se verificar se não há infecções que possam estar provocando o trabalho de parto prematuro.
  • Algumas medidas terapêuticas podem ser empregadas pelo obstetra:
  • Uso de progesterona por via vaginal – o uso da progesterona quando o colo esta encurtado (comprimento menor do que 2,5 cm) reduz o risco de parto prematuro em 44%.
  • Colocação do pessário. O pessário é um anel de plástico que se molda ao redor do colo uterino, não permitindo que este se dilate
  • Realização da cerclagem. A Cerclagem é uma cirurgia em que se “faz” um ponto ao redor do colo uterino, com o mesmo intuito de não deixar que ele se dilate
You cannot copy content of this page