O artista paulista Claudio Tozzi recebe o Lifetime Achievement Award durante o Brazilian International Press Award
Arte

Claudio Tozzi: “A arte não deve ficar presa, deve ocupar ruas, praças e a vida das pessoas”

Por Jade Matarazzo – Foto: Manny Hernandez

Claudio Tozzi nasceu em São Paulo e ganhou o mundo durante sua longa e constante carreira na arte. Arquiteto de formação, ele se especializou em designer urbano na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, mas foi com seu estilo inovador que deixou sua marca no mundo artístico. Em suas primeiras obras, o artista revela a influência da arte pop pelo uso de imagens retiradas dos meios de comunicação de massa, como na série de pinturas “Bandido da Luz Vermelha” (1967), na qual remete-se à linguagem das histórias em quadrinhos.

Tozzi trabalha com temáticas políticas e urbanas, utilizando com frequência novas técnicas em seus trabalhos, como a serigrafia. Em 1967, seu painel “Guevara Vivo ou Morto”, exposto no Salão Nacional de Arte Contemporânea, é destruído a machadadas por um grupo radical de extrema direita, sendo posteriormente restaurado pelo artista. A partir de 1969 seus trabalhos revelam uma maior preocupação com a elaboração formal e perdem o caráter panfletário que os caracterizava. Começa a desenvolver pesquisas cromáticas na década de 1970. Nos anos 80, sua produção abre-se a novas temáticas figurativas, como é possível observar nas séries dos papagaios e dos coqueirais. Ele então dá início aos trabalhos abstratos, nos quais explora efeitos luminosos e cromáticos.

Tozzi realizou painéis importantes para espaços públicos de São Paulo como “Zebra”, colocado na lateral de um prédio da Praça da República e outros na Estação Sé do Metrô, na Estação Barra Funda do Metrô, no edifício da Cultura Inglesa e na Estação Maracanã do Metrô Rio, na cidade do Rio de Janeiro. O artista explora o conceito de apropriação da imagem de Duchamp. Suas obras não são feitas por emoção. Antes de iniciar um novo trabalho, ele já sabe exatamente o que é e como vai fazer para alcançar o resultado imaginado. Segundo ele, “a arte não deve ficar presa em museus, galerias e instituições de ensino. Ela deve ocupar as ruas, praças, edifícios e a vida das pessoas”. Podemos observar esse conceito em seus painéis, como o do Edifício Exclusive. Artista ativo, além de arquiteto, designer, gravador e pintor, Tozzi recentemente esteve em Miami para uma grande exposição individual na conceituada galeria Gary Nader, marcando sua presença na comunidade americana e brasileira, em uma noite de muito sucesso. Para quem ainda não teve a oportunidade de conhecer pessoalmente sua obra, pode visitar a galeria Duo Art Gallery de Didi Marchi, em Little Havana.

Arte by Claudio Tozzi

Arte by Claudio Tozzi

You cannot copy content of this page