A casa flutuante ou “Livable Yatch” é uma realidade em Miami. É sustentável, autônoma, resistente a intempéries e furacões e flexível, podendo ancorar onde você desejar
Decor

Casa flutuante já é realidade!

Quem mora em Miami observa há muito tempo como a cidade e a região vêm sendo impactadas por alterações climáticas, intempéries e ocorrências como furacões e tempestades. Estes fatos geram transtornos enormes como o aumento do nível do mar, inundações e muitas vezes danos e acidentes decorrentes dos mesmos.

Dois europeus empreendedores, Arnaud Luguet, franco/holandês, e Nicolas Derovin, francês, engenheiros e ligados à construção civil, observando estes fatos e a rotina da cidade e seu futuro incerto cada vez mais comprometido com essas intempéries e o já comprovado aumento do nível do mar, resolveram lançar um produto alternativo para os novos empreendimentos.
A Arkup, empresa da dupla, lançou a casa flutuante ou “Livable Yatch” no Boat Show 2019 em Miami, no mês passado. Não é exatamente uma novidade visto que na Holanda, especialmente em Amsterdã, bairros inteiros são formados na água como Ijdurg.

Mas é a primeira vez que a América vê um protótipo tão sofisticado, bem projetado e uma proposta de residência flutuante realmente inteligente e antenada com as tendências do design contemporâneo.
Inspirado em suas origens, conceitos e valores e ainda nos estudos e projeções futuras da Flórida, o projeto possui como base conceitos determinantes para seu sucesso e expansão a médio e a longo prazo.

Sua arquitetura e design foram cuidadosamente concebidos pelo Water Studio da Holanda,  seguindo as tendências do design contemporâneo, a integração à paisagem de Miami  e todas as particularidades e necessidades do projeto. A maior integração possível  com o mar, o sol e o ar é uma delas

Os primeiros estudos começaram em 2016, quando a dupla Luguet & Derovin imergiu no projeto e na observação da região da Flórida e do planeta sobre o que realmente acontece atualmente no meio ambiente e como uma residência na água pode amenizar impactos ambientais como poluição, melhorar a qualidade de vida de seus habitantes, contribuir com o entorno e ser seguro e autossuficiente. Parece muito, mas não é impossível. Um projeto sem dúvida ousado e fascinante que já é realidade e o qual fazemos questão de apresentar a vocês.

Desde o começo os mentores do projeto sentiram a necessidade de uma identificação visual para o protótipo com a Arquitetura e Design de Miami e também uma identificação visual de casa e não de barco, apesar de ser um yatch. Contrataram um arquiteto holandês, Koen Oithuis, do Water Studio, especializado em projetos flutuantes. O arquiteto e seu time já assinaram grandes empreendimentos flutuantes pelo mundo.

Na suíte master decorada pela Artefacto observamos o criterioso detalhamento  e aproveitamento dos espaços, conforto e integração com a vista externa

O programa do projeto definido por seus regentes tinha finalmente como prioridade ser uma casa / barco sustentável e autônoma, resistir às intempéries climáticas, até a um furacão categoria 4, ter energia renovável, ser o menos possível agressivo ao meio ambiente e totalmente inserível no planejamento urbano. Além disso o design, tecnologia e conforto visariam ao público e aos frequentadores da cidade de Miami. Tinham ainda como objetivo maximizar espaços internos e externos e possibilitar interação total com o mar, não apenas avistar a paisagem marinha.

O “ Livable Yatch”, como é chamado por seus criadores, possui características únicas que justificam seu projeto, como coleta de água da chuva e purificação para água potável, teto solar que capta energia para toda a demanda do barco, inclusive a propulsão evitando o uso de combustível, aparência de casa, toda a tecnologia e conforto das smart houses.

O Water Studio de Koen Oithuis desenvolveu todo o projeto de arquitetura flutuante e interiores do Yatch alem de um sofisticado sistema que eleva a estrutura em caso de tempestades o “yack-up”, quatro âncoras ou colunas hidráulicas que saem da base descem até o fundo do mar e depois conseguem içar o iate acima do nível da água livrando-o do risco das ondas.

A decoração foi assinada pela Artefacto e todas as obras de arte são do renomado artista mineiro Hamilton Aguiar, muito admirado pelos proprietários do projeto.

O grande diferencial de ter uma casa flutuante é que você pode navegar nela, ancorá-la em diferentes regiões da cidade ou do mundo até, ou seja, não há rotina. Se estiver cansado da região, mude a paisagem, o sol e os vizinhos, ou simplesmente vá para o meio do mar. Até isso é possível. Parece fantástico e é incrivelmente viável no “Livable Yatch”.

Um dos pontos altos do projeto e que o diferencia dos iates normais é a imensa porta deslizante que integra o deck externo à sala e à cozinha trazendo literalmente o exterior para dentro da casa flutuante. Todos os equipamentos e vedações são automatizados e alimentados por energia autossustentável captada pelas placas solares presentes na cobertura da “Livable Yatch”

Durante nossa entrevista com Nicolas Derovin ficamos sabendo que este é apenas o primeiro de uma série de projetos flutuantes da Arkup, que se prepara para empreender resorts, bairros, casas menos sofisticadas voltadas para a classe média e até vivendas para estudantes, tudo sobre as águas de Miami.

Já estão sendo procurados pelas marinas, proprietários de ilhas, redes hoteleiras e autoridades locais, da cidade de Miami Beach, por exemplo, a mais afetada pelas inundações e furacões. Enxergam na Arkup um produto visionário e um caminho para a reorganização urbana.

Esta coluna e a Acontece Magazine aplaudem a iniciativa e o projeto e ficam muito felizes em poder viver numa cidade com esse valor de iniciativa e empreendimento.