Business

Como preparar sua empresa para o e-commerce

Atualmente, a internet tem sido o espaço mais vantajoso para compras e negócios, tanto para empreendedores quanto os consumidores. Segundo a pesquisa do eBit, no primeiro semestre de 2020, o e-commerce teve o maior crescimento em 20 anos, com um aumento de 47%. Mas ainda assim, antes de iniciar os trabalhos com alguma loja virtual, é necessário levantar estratégias para alcançar o público desejado.

Há uma grande estrutura disponível para qualquer pessoa que opte por iniciar um negócio nesse meio. Além de boas opções de internet, há sistemas bancários criados especialmente para esse ambiente, que permitem que pessoas sem grande conhecimento em contabilidade e finanças possam realizar os processos de forma simples. 

Mas existem regras para manter um negócio, mesmo online. Para que o empresário não tenha problemas com o e-commerce é necessário registrar o domínio do site e também a marca no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial), prevenindo que futuramente outras empresas tentem requerer direitos dessa marca ou pedir direitos autorais, evitando ações por plágio. 

Outro ponto a ser destacado é a necessidade de profundo conhecimento do público alvo, para impactar o consumidor através do impulsionamento de propagandas no google e em redes sociais, ferramenta simples e eficiente. Essa parte pode ser idealizada por um profissional especialista em marketing digital, pois além de produzir conteúdo relacionado, também pode realizar pesquisas relacionadas ao público.

O diretor executivo da empresa paulista Coan Consultoria Contábil, Fábio Barretta, ressalta que o atendimento ao cliente é parte essencial do marketing, por isso é necessário prestar todo suporte aos consumidores, seja pela web ou por telefone. 

Para os interessados em começar a empreender na internet, Fábio comenta as vantagens e desvantagens. “Antes de qualquer decisão, é fundamental ter uma estratégia de negócio e conhecer bem o seu produto ou serviço antes de publicá-lo na web. Caso essa empresa já tenha uma boa base offline, pode ser mais vantajoso ainda colocar em prática um e-commerce, já que esse produto já tem aceitação no mercado”, ele relata.