btn facebook  btn youtube  btn twitter  btn google plus  acontece instagram  acontece issuu

 

Acontece Magazine
btn facebook   btn youtube   btn twitter  btn google plus  acontece instagram  acontece issuu
acontece logo darkred

Inauguração do Rio’s Pet Spa

Festa de inauguração do Rio’s Pet Spa
Festa de inauguração do Rio’s Pet Spa

North Miami, 11 de setembro de 2016
Inaugurou em North Miami a nova sede do Rio's Pet Spa & Boarding que após 10 anos em aventura esta se mudando para North Miami com serviços completos para gatos e cachorros que vai des de hotel, day care, banho, tosa, cuidados com dentes e lojinha, com excelente localização e acomodações de primeira. Um verdadeiro spa para animais.
Ficou tudo lindo, pensado e construído para recepcionar nossos “amores”. Todos os cômodos possuem iluminação com luz natural dos tetos solares.
A proprietária Patrícia Bastos demostrava estar muito feliz ao recepcionar amigos e clientes e mostrar como preparou tudo pensado nos mínimos detalhes. Alem do pet Spa o local continuará a oferecer aulas e qualificação para pessoas que desejam virar profissionais para ingressarem neste ramo com Qualificação da Golden Paws.
Serviço: Rio’s Pet Spa & Boarding,Inc. - 609 Ne 127 street North Miami Beach, Florida 33162 www.riospetspa.com
Fotos: Bill Paparazzi

View the embedded image gallery online at:
https://acontece.com/p#sigProIdea23afa5d5
> >

 

Por que vacinar meu pet contra raiva?

A raiva é uma doença muito séria, com resultados devastadores. Proteja-se e proteja os seus animaizinhos
A raiva é uma doença muito séria, com resultados devastadores. Proteja-se e proteja os seus animaizinhos

Por Dra. Cecília Magalhães

Raiva é uma doença causada por um vírus que afeta seres humanos, animais domésticos e silvestres. Dentre eles gato, cão, cavalo e furão, os quais, obrigatoriamente, têm que ser vacinados. Além desses, os animais mais comuns de serem afetados na Flórida são os guaxinins, morcegos, raposas, gambás, lontras, linces e coiotes. A lista não termina aí, por isso, a importância de entendermos como prevenir essa doença altamente letal.

Na Flórida em 2018, o departamento de saúde emitiu vários alertas sobre animais com raiva, dentre eles um em Kendall e outro em North Miami Beach. O animal doméstico com maior número de casos foi o gato, com 16 casos de 110. Possivelmente porque as pessoas não se preocupam em mantê-los com a vacinação atualizada e, assim, eles tendem a vagar mais pela vizinhança.

A Organização Mundial de Saúde classifica a raiva como zoonose, doença transmitida de animais para humanos. A raiva está presente em todos os continentes, exceto na Antártica. A transmissão é feita pela mordida, arranhadura ou contato com a saliva do animal doente, e no momento em que os sintomas aparecem, na maioria dos casos, é fatal. Por isso, é primordial procurar o seu médico, se você entrar em contato com um animal silvestre, ou o seu veterinário, no caso do seu pet.

Os sintomas são: comportamento estranho, como agressão ou ataque sem razão aparente; mas o contrário também pode acontecer, como aparentar calma. O vírus ataca o sistema nervoso, dificultando comer, beber e engolir, por isso, o animal baba muito. O bichinho pode parecer desorientado ou paralisado, e eventualmente morrer.

Não existe tratamento específico e as curas são raríssimas. Há mais de 15 anos uma adolescente sobreviveu ao vírus com uma terapia hoje chamada de Protocolo de Milwaukee. Felizmente, até hoje temos informação de cinco sobreviventes humanos, sendo dois no Brasil, dois nos EUA e um na Colômbia. Esse número é mínimo se considerarmos que em 2018 tivemos mais de 60.000 casos no mundo.

A prevenção é importantíssima e as recomendações mais importantes são:
• Evite contato e não alimente animais do lado de fora ou que aparentem estar doentes, no caso, chame o 311 para ajudar.
• Não toque em animais que você não tenha certeza de estarem vacinados, pois você pode ser mordido ou arranhado, mesmo que se proteja com luvas.
• Supervisione as crianças e seus pets quando brincam do lado de fora e evite que as crianças toquem nos animais que você não tenha certeza da vacinação. Aproveite para educá-los a não se aproximar de animais desconhecidos ou doentes.
• Mantenha os seus pets atualizados com a vacinação antirrábica e aconselhe o mesmo aos seus vizinhos e amigos.
• Caso você ache que houve contato com a raiva, lave bem a área e imediatamente procure auxílio médico e o departamento de saúde.
Dica: a raiva é uma doença muito séria, com resultados devastadores. Proteja-se e proteja os seus animaizinhos. Muitas das cidades nos EUA requerem registro e o uso de uma plaquinha informando da vacinação antirrábica. Fale com o seu veterinário. Aprenda com quem sabe e eduque os que pensam que sabem.

 

Os animais dos abrigos são saudáveis? Gostaria de adotar um!

A primeira coisa a fazer depois de adotar um pet é levá-lo ao veterinário!
A primeira coisa a fazer depois de adotar um pet é levá-lo ao veterinário!

Por Dra. Cecília Magalhães
Os animais dos abrigos são saudáveis? Gostaria de adotar um!

A chegada de um novo companheiro é sempre uma alegria. Ainda mais quando essa escolha é feita de coração aberto, adotando um animalzinho que está à espera de um lar. Além de adicionar a sua família mais um membro, você estará salvando uma vida. Infelizmente, os abrigos estão sempre superlotados e em consequência disso ocorrem milhões de casos de eutanásia anualmente.

Mas vamos lá. Existem alguns fatores a se considerar para que a adoção seja um sucesso. Um deles vem em forma de pergunta: por que esse animalzinho foi parar no abrigo? E isso se encaixa bem em outra pergunta: os animais de abrigos são saudáveis? Não se sabe. Esse animalzinho pode ter fugido e durante o processo ter se machucado e precisado de cuidados. Ou pode ter sido entregue porque tinha problemas de saúde ou de comportamento. Não há garantias então de o bichinho ser saudável, mas a maioria dos abrigos trata, vacina e castra os animaizinhos antes da adoção.

Existem locais com maior estrutura, sendo capazes de tratar e só colocar para adoção aqueles amiguinhos com maior possibilidade de ganhar uma nova família. E outros menores, que funcionam por meio de pessoas caridosas que abrigam pets em suas casas até eles encontrarem um novo lar. Informe-se, faça perguntas. Você não encontrará uma história muito longa sobre o pet, mas o máximo que você puder saber será importante para a sua decisão. Não haja somente pelo emocional.

Outra coisa: independentemente de adoção, tenha certeza de que você e sua família estão prontos para receber mais um membro. Adotar um animalzinho significa que vocês serão responsáveis por este ser por muitos anos. Olhe para o futuro e tente considerar como sua vida pode se modificar, assim vocês poderão tomar uma decisão mais consciente do momento certo para o novo integrante. Considere as despesas com veterinário, alimentação, treinamento e outros requerimentos de uma vida feliz e saudável para o seu amiguinho.

O veterinário deve ser a primeira visita do bichinho. Dessa forma, você se sentirá mais seguro para apresentar o pet para a sua família.
Parabéns e boa sorte!

Dica: o veterinário pode ajudá-lo na escolha do animalzinho certo para a sua família. Eduque-se quanto às necessidades específicas das raças, nível de energia, tipo de pelagem e não se esqueça de analisar a energia de seus familiares, como também o seu estilo de vida.

 

Seu pet precisa de cuidados dentários?

Cuide dos dentes do seu pet desde o primeiro dia em casa
Cuide dos dentes do seu pet desde o primeiro dia em casa

Por Dra. Cecília Magalhães
Fevereiro é o “National Pet Dental Health Month”, mês da saúde bucal do seu pet. Aproveitando a deixa, vamos falar hoje desse cuidado tão importante.

Os cães têm 42 dentes definitivos e os gatos, 30. Isso quer dizer que você tem muitas chances de ajudar o seu amado companheiro, cuidando de sua saúde bucal.

Primeiro, quando levantamos os lábios dos nossos peludos, estamos vendo somente a ponta do iceberg. Imagine um iceberg: esta é a parte da coroa, que pode ou não apresentar placas de tártaro. A parte imersa na gengiva é a raiz, com vasos sanguíneos e os ligamentos, que ajudam a segurar o dente na cavidade e a nutrir a parte interna do dente, a polpa.

Claro, a parte visível pode ser um indicativo de problemas, mas é importante entender que o dente não é feito somente dessa parte que conseguimos ver. Como nossos pets não têm a habilidade de escovar e usar fio dental para manter a higiene bucal, essa responsabilidade fica com os “pais”. Como ocorre com nossas crianças, que também podem desenvolver sérios problemas dentários se não cuidarmos.

Como nos seres humanos, a comida ingerida diariamente com a adição da saliva e das bactérias bucais, se não removidas por limpeza bucal diária, tendem a se acumular e a mineralizar, e sim, podem se tornar quase pedras, principalmente nas regiões próximas à gengiva e entre os dentes. Esse material duro e cinzento, chamado tártaro ou cálculo dentário, bloqueia o dente de receber oxigênio e assim favorecer o crescimento excessivo de bactérias. Essas bactérias modificadas podem se espalhar pelo corpo todo do seu pet, mas preferem o coração, os rins e o fígado.
Importante lembrar também que seu pet gosta de se limpar, o que causa o mau odor que pode impregnar o pelo.

Agora vamos para a parte prática. Gengivite pode ser tratada, mas quando a doença se instala mais profundamente, causando perda do osso que segura os dentes, é irreversível.

Então, mãos à obra:
• Tenha paciência e escove os dentes do seu pet com frequência. Comece desde o primeiro dia em casa.
• Use produtos apropriados para ajudar na higiene bucal. Fale com o seu veterinário e não use produtos humanos.
• Leve seu pet para ser examinado por um veterinário a cada 6 a 12 meses, para avaliar a necessidade de limpeza profissional. E se for recomendado o tratamento dentário, faça o quanto antes para o problema não aumentar sem controle.

Dica: a limpeza de dentes sem anestesia não pode ser comparada com a limpeza profissional. A limpeza cosmética não foca na doença que está abaixo da gengiva, impossibilitando uma limpeza e proteção completa dos dentes, assim como também extrações, se necessário. O seu pet depende muito de você, por isso, não podemos ignorar essas dicas se quisermos nossos amiguinhos com os dentes lindos, branquinhos e saudáveis.

 

O meu pet tem muito medo de fogos de artifício. Como devo lidar com isso?

Treine o seu pet com os “quartinhos personalizados”. Vão se sentir mais seguros e protegidos
Treine o seu pet com os “quartinhos personalizados”. Vão se sentir mais seguros e protegidos

Por Dra. Cecília Magalhães
Muitos cães e gatos têm uma reação própria ao barulho e às luzes emitidas pelos fogos de artifício, assim como por tempestades com trovoadas. Alguns ignoram, mas outros podem entrar em total pânico. E aí é que está o perigo. São capazes de fazer coisas inimagináveis tentando se proteger.

Como os animais não sabem de onde vem o som e o consideram uma ameaça, na tentativa de fuga podem atravessar ruas, portas, e até pular de janelas sem ter a menor noção do risco. Infelizmente, nos dias tradicionais de festividades com fogos de artifício acontecem mais atropelamentos, ferimentos e mortes de animais. E não é muito diferente no caso das tempestades, as quais não podemos sempre prever com precisão.

Nesses dias não deixe o seu animalzinho sozinho, e se for imprescindível deixá-lo, encontre outra pessoa que o conheça ou uma hospedagem onde ele possa ficar seguro. E muito importante: informe-se sobre a clínica de emergência mais próxima de sua casa. Quando estamos em uma situação de risco é difícil pensar claramente, por isso, antecipe-se.

Certos comportamentos são clássicos do pet ansioso: babar, caminhar incessantemente, ficar ofegante, tremer, demonstrar grande necessidade de atenção chorando, pulando e passando as patinhas nas pessoas e se escondendo até em lugares difíceis de serem alcançados.

Podemos tomar algumas atitudes para manter esse animalzinho mais calmo e seguro. Mas não se iluda achando que somente uma dessas sugestões solucionará o problema. É um processo que necessita de muita paciência e persistência.
• Desde cedo, treine o seu pet com as gaiolas, “quartinhos personalizados”. Vão se sentir mais seguros e protegidos.
• Use feromônios sintéticos, pois podem dar a eles uma sensação de bem-estar.
• Existem remédios prescritos pelo seu veterinário, desde medicamentos naturais a calmantes e ansiolíticos, que devem ser usados com muito controle e cuidado. A homeopatia e os florais também podem ajudar.
• Use roupinhas de compressão, que acalmam o seu pet, e também protetores de ouvidos.
• Em casos extremos, procure um veterinário especializado em comportamento, que além de diagnosticar o problema pode ensinar técnicas de mudança de comportamento e condicionamento.

Dica: não haja no último minuto, pois existem muitas escolhas com diferentes tempos de implementação e resultado. Converse com o seu veterinário para decidirem juntos quais as melhores opções para ajudar o seu pet.

Com planejamento, todos poderão passar por tempestades climáticas e emocionais e ainda aproveitar os fogos sem estresse.
Boas Festas!

 

Próximo
Sweeney Todd, the Demon Barber of Fleet Street

Mar/14 ate Abr/07 - Sweeney Todd, the Demon Barber of Fleet Street

Uma verdadeira obra-prima musical que conta a história do…
Miami Open

Mar/18 a 31 - Miami Open

O Miami Open, às vezes conhecido como o Miami Masters, é um…
Flavio Venturini

Mar/22 - Show de Flavio Venturini - SHOW ADIADO

SHOW ADIADO Por razões de ordem técnica, avisamos ao…
DJ Alok

Mar/27 - DJ ALOK e Dj Steve AOKI em Miami Beach

Na quarta-feira, dia 27 de março, durante o Miami Music…
Disney On Ice Frozen

Mar/28 ate Mar/31 - Disney On Ice Frozen

Os espetáculos sob o gelo da Disney dispensam apresentações…

Videos

CLIQUE NA IMAGEM PARA ABRIR O VÍDEO

 

Karmel Bortoleti

Making of do ensaio fotográfico de Karmel Bortoleti para a editoria fashion da edição de abril de 2017 da Acontece Magazine


Ensaio fotográfico do ator Caio Castro em Miami para a Acontece Magazine de agosto de 2017

Ensaio fotográfico do ator Caio Castro em Miami para a Acontece Magazine de agosto de 2017


Vera Viel posa com tema náutico para a Acontece Magazine em Miami

Vera Viel posa com tema náutico para a Acontece Magazine em Miami


Ensaio Fotográfico

Ensaio fotográfico com as modelos Cate Chant e Flavianny Nassimbeni para a editoria Fashion da edição de maio de 2016 da Acontece Magazine por Gerardo Gomez


Making Of Abril 2016

Ensaio fotográfico com Karmel Bortoleti para a editoria Fashion da edição de abril de 2016 da Acontece Magazine por Gerardo Gomez


Ensaio fotográfico para a editoria Fashion da edição de março

Ensaio fotográfico para a editoria Fashion da edição de março de 2016 da Acontece Magazine por Gerardo Gomez


Acontece Magazine - Making of - Karina Bacchi - March 2016

Acontece Magazine - Making of - Karina Bacchi - March 2016


Ensaio Fotográfico

Ensaio fotográfico para a editoria Fashion da edição de fevereiro de 2016 da Acontece Magazine


Making Of Janeiro 2016

Making of do ensaio fotográfico para a capa e a editoria fashion da edição de janeiro de 2016 da Acontece Magazine com a participação da modelo Andrea Méndes Arroio


Making Of Dezembro

Acontece Magazine Making of de Dezembro 2015




DMC Firewall is developed by Dean Marshall Consultancy Ltd